Fabrizio Bensch / Reuters
Fabrizio Bensch / Reuters

Vice-lanterna do Alemão, Werder Bremen demite técnico após dez jogos sem vitória

Equipe tem cinco empates até agora, ficando a frente apenas do Colônia

Estadão Conteúdo

30 Outubro 2017 | 11h06

O Werder Bremen anunciou oficialmente nesta segunda-feira a demissão do técnico Alexander Nouri, que perdeu o cargo após não conseguir vencer nenhuma das dez partidas que o time disputou até aqui pelo Campeonato Alemão. E pesou para esta decisão também a decepcionante derrota por 3 a 0 para o Augsburg, sofrida no último domingo, em casa, pela rodada passada da competição nacional.

+ Sorteio define Bayern x Borussia Dortmund nas oitavas da Copa da Alemanha

+ Bayern de Munique volta a superar o RB Leipzig e vira líder isolado do Alemão

Nouri e seu assistente, Markus Feldhoff, foram mandados embora da equipe que ocupa a vice-lanterna do Alemão, com cinco pontos, todos somados por meio de empates. E o clube informou nesta segunda-feira que Florian Kohfeldt, técnico do time sub-23 do Werder Bremen, assumiu interinamente o comando.

Kohfeldt vai dirigir a equipe no jogo contra o Eintracht Frankfurt, sexta-feira, fora de casa, na abertura da 11ª rodada do Alemão. Antes de ser demitido, Nouri havia assumido o Werder Bremen anteriormente em setembro de 2016 e conduzido o clube a um honroso oitavo lugar na edição passada da Bundesliga.

Agora, porém, o time só faz campanha melhor do que a do lanterna Colônia, que somou apenas dois pontos em dez partidas. E a equipe de Bremen marcou apenas três gols até aqui neste Alemão - o último colocado balançou as redes quatro vezes.

Ao oficializar Kohfeldt como interino, o diretor esportivo do Werder Bremen, Frank Baumann, afirmou que o técnico "não está descartado como uma solução de longo prazo", mas avisou que o clube também vai analisar "treinadores que estão sob contrato em outros lugares" como opções para a continuidade desta temporada europeia.

Mais conteúdo sobre:
futebol Werder Bremen

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.