Gabriela Biló|Estadão
Gabriela Biló|Estadão

Vice-presidente da Chapecoense agradece apoio: 'Tivemos uma torcida mundial'

Ivan Tozzo promete lutar para reerguer o clube após tragédia

Daniel Batista e Gilberto Amendola, enviados especiais a Chapecó, O Estado de S. Paulo

30 de novembro de 2016 | 11h53

O vice-presidente da Chapecoense, Ivan Tozzo, era um dos mais emocionados após saber da notícia da queda do avião da delegação da Chapecoense. Além de perder amigos, o dirigente esteve por um fio de estar presente na aeronave que levaria a delegação para a Colômbia, onde o time enfrentaria o Atlético Nacional, nesta quarta-feira, pela decisão da Copa Sul-Americana. Após a tragédia, a comoção foi mundial.

Ainda mais emocionado pela forma com que a notícia repercutiu em todo o mundo, o dirigente, com os olhos cheios de lágrimas, agradeceu ao apoio. "Eu recebi ligação de dirigentes e manifestações de toda as partes do mundo. Só tenho que agradecer ao apoio de todos os clubes e isso fez com que a gente tivesse uma torcida mundial", contou o dirigente, que deve assumir a presidência do clube, com o falecimento do atual presidente, Sandro Pallaoro. 

Tozzo, apesar de toda a tristeza, não vai desistir de colocar a Chapecoense no topo. Ele falou que, em nome de seus amigos que se foram, vai lutar para reerguer o clube, mas admite que precisará buscar forças.

"Imagine começar tudo do zero novamente. Lutamos tanto e tudo se foi assim. Mas, mesmo com pouco recurso, vamos remontar tudo novamente. Vamos trabalhar e não sei o que será daqui em diante, mas vamos trabalhar e honrar todo esse apoio", disse. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolChapecoenseAcidente Aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.