Brendan McDermid/Reuters
Brendan McDermid/Reuters

Vice-presidente da Fifa pede demissão em protesto a Blatter

David Gills reage à reeleição do presidente da entidade em meio a denúncias de corrupção e a prisões de cartolas

Jamil Chade, correspondente em Zurique, O Estado de S. Paulo

30 de maio de 2015 | 07h25

Os primeiros sinais de racha já começaram a aparecer na Fifa neste sábado, 30. Um dos vice-presidentes da entidade, David Gills, anunciou sua demissão do cargo em protesto à eleição de Joseph Blatter. O suíço ganhou um quinto mandato, mas vai enfrentar uma dura oposição.

A reeleição de Blatter ocorre no momento em que cartolas da entidade são investigados pelos EUA por denúncias de corrupção.

"Não é apropriado ser membro do Comitê Executivo da Fifa sob a atual liderança", disse. "Reconheço que ele foi democraticamente eleito. Mas minha reputação profissional é fundamental para mim e não vejo como possa haver uma mudança no futebol enquanto ele estiver no cargo", completou.

A Fifa está reunida neste sábado para tratar dos Mundiais de 2018 e 2022.

Gills foi o CEO do Manchester United e ocupa cargos de poder dentro do futebol europeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.