Divulgação/Alesp
Divulgação/Alesp

Vice-presidente da FPF morre na Argentina vítima de complicações da covid-19

Robero Cicivizzo Júnior estava no país vizinho há cerca de um mês após ser convocado para trabalhar na final da Copa Sul-Americana

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2021 | 20h27

O vice-presidente de Segurança e Prevenção de Violência da Federação Paulista de Futebol (FPF), Robero Cicivizzo Júnior, morreu neste domingo vítima do novo coronavírus. O dirigente tinha 53 anos e estava internado em Córdoba, na Argentina, para onde foi no fim de janeiro para trabalhar na final da Copa Sul-Americana. Após testar positivo para a doença e ter complicações, ficou internado por cerca de um mês.

Advogado de formação, Cicivizzo viajou à Argentina em janeiro convocado pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) para trabalhar na organização da final entre os times argentinos Defensa Y Justicia e Lanús. Já quando estava em Córdoba, o dirigente passou por um teste PCR após a partida e teve de ficar no país para cumprir quarentena. Só pode desembarcar no Brasil quem tiver com exame negativo para a covid-19.

Alguns dias depois, o dirigente teve falta de ar e febre alta, sintomas que o fizeram ser levado para um hospital. O quadro piorou e ele teve de ser levado para a UTI. Neste domingo, ele não resistiu. A morte dele foi confirmada à reportagem pela própria FPF. 

Cicivizzo estava na diretoria da entidade há mais de dez anos. Antes do cargo atual, foi também vice-presidente jurídico da FPF. Em 2015, o advogado foi um dos fiadores do acordo selado pelo ex-presidente da CBF, José Maria Marín, com a Justiça Americana para cumprir em prisão domiciliar a pena por corrupção.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.