Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Victor acredita em jogo aberto entre Atlético-MG e Fluminense no Engenhão

Equipes se enfrentam no domingo, no Rio de Janeiro, pelo Campeonato Brasileiro

Estadão Conteúdo

17 Outubro 2018 | 21h34

A quarta-feira parecia um dia tranquilo nas dependências da Cidade do Galo, centro de treinamento do Atlético Mineiro, em Vespasiano (região metropolitana de Belo Horizonte). Isso antes do anúncio da diretoria, no início da noite, da saída do técnico Thiago Larghi e da contratação de Levir Culpi. Larghi chegou a comandar o treino já visando a partida contra o Fluminense, neste domingo, no Rio de Janeiro, pelo Campeonato Brasileiro, e o goleiro Victor foi o escalado para conversar com os jornalistas.

Para o duelo deste final de semana, o experiente jogador acredita que, em razão do perfil dos times, Atlético-MG e Fluminense farão um jogo bastante aberto no estádio do Engenhão. Segundo o goleiro, as duas equipes possuem características ofensivas.

"O Marcelo (Oliveira) é um treinador que gosta de colocar o time no ataque e o Atlético também é um time que tem o ataque bastante forte. Então, o grande ponto é saber neutralizar o ataque do Fluminense, que é rápido e bastante perigoso, sem abrir mão da nossa característica de buscar o gol. É encontrar o equilíbrio defensivo para neutralizar o ataque deles e, quando tiver a bola, ser efetivo e buscar a vitória porque a gente sabe a importância de vencer esse próximo jogo", comentou Victor, ainda antes do anúncio da saída de Larghi.

Diante da ausência do zagueiro Leonardo Silva, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o goleiro destacou a confiança no substituto do capitão. "O Gabriel é um jogador que já demonstrou muita qualidade. A gente sabe do potencial dele, um jogador que, apesar de jovem, já tem mais de 100 jogos com a camisa do Atlético. Então, capacidade e maturidade não faltam. Ele tem toda a confiança e todo o apoio não só meu como de todos no grupo", disse.

Victor concluiu afirmando que o Atlético-MG precisa retomar o caminho das vitórias para alcançar o objetivo de se classificar para a Copa Libertadores do próximo ano. O time está na sexta colocação, a última dentro da zona de classificação, com quatro pontos a mais (46 a 42) que o Santos, o sétimo.

"Temos que procurar evoluir, recuperar a confiança, a nossa sintonia, que a equipe deixou de ter um pouco nesse jogo, na hora de marcar, de dar o último passe, ser um pouco mais efetivo, seja na defesa ou no ataque, e trabalhar. Não podemos achar que está tudo errado, mas sabendo da necessidade de evolução para conquistar uma vaga na Libertadores, que é o nosso objetivo no momento. Então, é procurar buscar essa vaga, colocar o time na Libertadores do ano que vem, mas sabendo que, para isso, a gente precisa ter uma melhora nessas rodadas que faltam", completou o goleiro.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.