JF Diorio/AE
JF Diorio/AE

Victor Andrade diz que é novo para ser titular no Santos

'Quem sabe em 2013, 2015', desconversou o jogador de 16 anos, já apontado como sucessor de Neymar

SANCHES FILHO, Agência Estado

13 de setembro de 2012 | 09h31

SANTOS - Não foi Neymar e nem André. Victor Andrade, de quem menos se esperava, abriu o caminho para o Santos voltar a vencer no Campeonato Brasileiro, na noite de quarta-feira, na Vila Belmiro, diante do Flamengo, por 2 a 0, depois de três derrotas e um empate no returno. Numa bola enfiada por Bruno Peres, o garoto entrou na área e bateu para o gol na saída de Felipe.

"Eu vinha treinando, fazendo minhas orações e graças a Deus pude ajudar", disse Victor Andrade ao sair de campo. Na euforia da comemoração do seu segundo gol em 14 jogos (na maioria entrou apenas nos minutos finais como na quarta-feira), tirou a camisa, recebeu o cartão amarelo e levou uma bronca de Muricy Ramalho. "Desta vez fui muito feliz e fiz o gol, mas o Muricy me deu uma dura por eu ter tirado a camisa na comemoração".

Apesar da empolgação e dos elogios dos companheiros, Victor Andrade reconheceu que ainda é um jogador em formação e que é cedo para se tornar titular. "Sou muito novo, quem sabe em 2013, 2015", desconversou o menino de 16 anos, que já é apontado como sucessor de Neymar.

Neymar, que depois de atuar contra a África do Sul, China e Flamengo em apenas seis dias, reclamou de cansaço no fim do primeiro tempo e após o jogo, mas comemorou o seu bonito gol, o segundo na vitória santista por 2 a 0. "Fico feliz por ter feito mais um belo gol. Ainda bem que o Love perdeu o gol e depois fomos aproveitando as nossas duas oportunidades".

Mesmo tendo consciência de sua importância para o time, que só voltou a vencer no Brasileiro no seu retorno, Neymar não concorda que seja uma espécie de salvador da pátria santista. "Não levo o Santos nas costas. Aqui cada um tem a sua função e faz o seu papel. É assim que chegamos longe. Uns defendendo, outros armando e a gente atacante. Somos um grupo e não jogo sozinho".

 

Sobre a sua queda de rendimento no segundo tempo em razão do desgaste físico, Neymar preferiu não falar sobre a maratona que enfrentou por se dividir entre seleção brasileira e Santos. "Cansei porque o jogo foi lá e cá, com os dois times atacando e correndo bastante. O corpo vai desgastando e se eu saísse de campo inteiro significava que eu não tinha jogado".

Neymar fez rápidos elogios a Victor Andrade e ao ser perguntado sobre Ganso, referiu-se ao meia como ex-companheiro de time. "Espero que ele seja feliz. Ganso é um cara de quem gosto muito, independente do lugar onde ele esteja, será sempre o meu irmãozinho", finalizou a estrela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.