Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Victor Ferraz comemora artilharia no Santos e projeta nova fase com Levir Culpi

Lateral marcou o gol santista aos 50 minutos do segundo tempo na vitória sobre o Botafogo, no Pacaembu

Estadão Conteúdo

08 de junho de 2017 | 18h34

O lateral-direito Victor Ferraz comemorou, em entrevista coletiva nesta quinta-feira, em Santos, o gol marcado contra o Botafogo, na noite desta quarta, no Pacaembu, aos 50 minutos do segundo tempo, em uma cobrança de falta, que deu a vitória à equipe santista e propiciou a recuperação do clube no Brasileirão. O jogador brincou com a artilharia momentânea.

"Quem diria? Nunca na minha vida (tinha sido artilheiro). Já liderei em assistência, mas em gols, em algum campeonato, nunca tinha acontecido comigo. Assim, estou zoando os moleques porque é a segunda vez que sou artilheiro. Na primeira rodada, fiz gol. E agora, artilheiro isolado", comemorou.

Victor Ferraz contou que começou a treinar cobranças de falta por insistência de Elano, antes mesmo de o ex-meia assumir o comando interino da equipe. O lateral também revelou que se inspirou em Alex, meia com quem jogou no Coritiba.

"Quando cheguei no Santos, não treinava nas bolas paradas porque já tinha alguns batedores. E o Elano foi um dos cara que me incentivou. Comecei a treinar bastante. Tenho uma forma de bater um pouco diferente porque fico mais perto da bola. Na época do Coritiba, olhava muito o Alex, tive a oportunidade de jogar um ano e meio com ele. Foi um dos melhores batedores que já vi", ressaltou.

O jogador também negou que tenha simulado a falta que originou o gol santista contra os botafoguenses. Victor Ferraz afirmou que a expressão utilizada após o jogo - cavar a falta - foi mal interpretada e gerou muitas críticas, especialmente de torcedores do time carioca.

"Quando dei a entrevista, as pessoas levaram para o lado errado. Torcedores do Botafogo me cobraram dizendo que tinha falado que burlei a regra. Quando disse que cavei a falta, fui lá para sofrer a falta, porque eles são uma equipe bem postada e estava difícil com a bola rolando", explicou o lateral.

Victor também exaltou a chegada do novo treinador da equipe, Levir Culpi, com quem já teve um contato inicial. O atleta disse que gostou da primeira conversa com o técnico e garantiu que ele terá apoio do grupo para desenvolver o trabalho no restante da temporada.

"A gente conheceu ele lá no hotel (onde os jogadores se concentraram). Alguns já se conheciam. A gente já se enfrentou várias vezes. Então, tem aquele contato, né? Deu pra perceber que é um cara que tá querendo muito. Extremamente gente boa, tratando todo mundo da melhor maneira possível. Vai ser muito bem recebido pelo grupo que possa acrescentar bastante pela sua experiência, conhecimento no futebol e que possa nos levar a outro patamar", enfatizou o atleta.

Na partida contra o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada, no próximo domingo, às 19 horas, válida pela sexta rodada do Brasileirão, o time santista ainda deverá ser comandado pelo interino Elano.

Levir Culpi - que seguiu para Belo Horizonte, nesta quinta, para acompanhar o velório de Eduardo Maluf, ex-diretor de futebol do Atlético-MG e do Cruzeiro - com quem trabalhou no passado em ambos os clubes -, será apresentado oficialmente na próxima segunda-feira.

O elenco santista treinou na tarde desta quinta-feira no CT Rei Pelé. O êxito diante do time alvinegro carioca colocou a equipe na 12ª colocação na tabela do Campeonato Brasileiro, com seis pontos, obtidos em duas vitórias - o Santos perdeu as outras três partidas disputadas na competição até aqui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.