Stringer/Reuters
Stringer/Reuters

Victor pega pênalti nos acréscimos e Atlético-MG avança na Libertadores

Depois de sair perdendo e buscar o empate, time se classifica graças à defesa do goleiro aos 48min

AE, Agência Estado

31 de maio de 2013 | 00h16

BELO HORIZONTE - Com todo o drama possível, o Atlético Mineiro conseguiu nesta quinta-feira a classificação às semifinais da Copa Libertadores. Graças a uma cobrança de pênalti defendida pelo goleiro Victor, já aos 48 minutos do segundo tempo, o time de Belo Horizonte empatou com o Tijuana por 1 a 1, no estádio Independência, e avançou na competição continental - na ida, na semana passada, no México, houve uma igualdade por 2 a 2.

Na luta por uma vaga na decisão, que será somente após a disputa da Copa das Confederações, o Atlético enfrentará o Newell's Old Boys. O primeiro jogo, provavelmente no dia 3 de julho, acontecerá na cidade argentina de Rosário. A volta, em 10 de julho, será no Independência, onde o clube mineiro não perde há 35 jogos. Na outra semifinal, o Independiente Santa Fé, da Colômbia, encara o Olímpia, do Paraguai.

Em campo, o torcedor atleticano sofreu. No primeiro tempo, o Tijuana marcou primeiro aos 25 minutos, com Riascos. O Atlético conseguiu o empate pouco antes do intervalo, aos 41, com o zagueiro Réver. Mas foi na segunda etapa, mais precisamente nos últimos minutos, que a emoção e o drama foram enormes. Leonardo Silva fez um pênalti aos 46, mas Victor defendeu a cobrança de Riascos para garantir a vaga.

O JOGO

Logo de cara, o Atlético percebeu que as coisas não seriam tão fáceis como em outros jogos no Independência. Aos 12 segundos, Réver errou a saída de bola, Riascos chegou pela direita e finalizou com força, obrigando o goleiro Victor a fazer uma defesa difícil. Uma mostra que o Tijuana não estava sentindo a pressão de enfrentar um estádio lotado contra.

Neutralizando a velocidade dos jogadores ofensivos do Atlético e tocando a bola com objetividade, o time mexicano não levou sustos nos primeiros minutos e se arriscou no ataque. Aos 14 minutos, até conseguiu marcar um gol em jogada de bola parada, mas o impedimento do zagueiro Gandolfi foi marcado corretamente no lance concluído por Aguilar.

Tanta dedicação tática do Tijuana foi premiada com o gol de Riascos, aos 25 minutos, que calou o Independência. Após cruzamento de Nuñez pelo lado direito, o atacante acertou um belo chute de primeira no canto esquerdo baixo de Victor para abrir o placar e colocar os mexicanos em vantagem no confronto.

Com o resultado favorável, o time visitante resolveu se precaver ainda mais defensivamente e, como consequência, começou a ser atacado com mais frequência. No único lance do Atlético que deu certo, em uma bola parada em que é especialista, o zagueiro Réver aproveitou a saída errada da zaga mexicana na tentativa de colocá-lo em impedimento e marcou o gol de empate, já aos 41 minutos.

No segundo tempo, o torcedor atleticano sofreu bastante. O time não conseguiu criar muitas chances, apesar de ficar mais tempo com a bola nos primeiros 20 minutos. A partir daí começou a pressão do Tijuana, que precisava da vitória para se classificar. Na chance mais clara de gol, após uma falha de Richarlyson, aos 25 minutos, o atacante Piceño ficou cara a cara com Victor e o goleiro conseguiu fazer a defesa com o pé no chute do adversário.

O Atlético respondeu em seguida em um chute de Leandro Donizete, que passou rente à trave esquerda de Saucedo, mas tomou outro enorme susto com uma falta cobrada por Arce, pelo lado esquerdo, aos 34 minutos, que bateu no travessão de Victor.

Nos últimos minutos, com todo o contra-ataque à disposição em cada tentativa desesperada e frustrada do Tijuana, o Atlético quase conseguiu a vitória - em uma delas, Luan apareceu na frente de Saucedo, mas o chute colocado foi defendido pelo goleiro.

Só que o momento de maior emoção ficou mesmo para o final. Aos 46 minutos, em um chutão da defesa do Tijuana, a bola sobrou para Moreno na entrada da área e o zagueiro Leonardo Silva acabou cometendo pênalti. Com o Independência em silêncio, Riascos foi para a cobrança e chutou forte no meio do gol. Victor, já caído para a direita, conseguiu esticar o pé esquerdo e fazer a defesa salvadora para delírio de todos no estádio.

E foi somente com o apito final do árbitro, aos 49 minutos, depois de todo drama, que o atleticano pôde realmente comemorar a classificação às semifinais.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 1 x 1 TIJUANA

ATLÉTICO-MG - Victor; Marcos Rocha (Josué), Réver, Leonardo Silva e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete, Ronaldinho Gaúcho, Bernard (Luan) e Diego Tardelli; Jô (Alecsandro). Técnico: Cuca.

TIJUANA - Saucedo; Nuñez, Gandolfi, Aguilar e Castillo; Pellerano, Ortiz (Martínez), Ruiz (Márquez) e Arce; Riascos e Moreno (Piceño). Técnico: Antonio Mohamed.

GOLS - Riascos, aos 25, e Réver, aos 40 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Réver, Leonardo Silva, Victor e Marcos Rocha (Atlético-MG); Pellerano e Gandolfi (Tijuana).

CARTÃO VERMELHO - Réver (Atlético-MG).

ÁRBITRO - Patricio Polic (Fifa/Chile).

RENDA - Não disponível.

PÚBLICO - 20.988 pagantes.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.