Vida ou morte para o Fluminense no PR

O Fluminense está a oito pontos do Corinthians, líder do Campeonato Brasileiro, mas ainda não desistiu de lutar pelo título. Jogadores e comissão técnica adotaram um discurso afinado: a partida deste sábado, contra o Paraná, às 16 horas, no Estádio Pinheirão, tornou-se ?de vida ou morte? para as pretensões do clube carioca. Isso porque somente a vitória manterá a equipe das Laranjeiras no páreo para tentar retomar a primeira colocação.?O Fluminense está tranqüilo e não vai abaixar a cabeça. Ainda tem muita coisa pela frente neste Brasileiro?, declarou o técnico Abel Braga, rebatendo qualquer insinuação de que o grupo está desanimado pela vantagem de pontos do Corinthians.Na concepção do treinador, o Fluminense tem que fazer sua parte, para depois torcer por tropeços do líder do Brasileiro. ?A equipe está a dois pontos da Taça Libertadores e ainda repetirá os dois jogos (contra Brasiliense e Juventude) anulados pela Justiça esportiva?. As palavras de Abel Braga encontraram apoio no elenco. ?O campeonato ainda não acabou, não tem nada perdido?, disse o goleiro Kléber, deixando claro que ?secará? o Corinthians no confronto de hoje, contra o Fortaleza, no Pacaembu. ?O Fluminense entra no páreo novamente se eles perderem e se a gente superar o Paraná?.O retorno de Petkovic, que cumpriu suspensão na última rodada, traz confiança à equipe. ?Ele é um craque e pode decidir qualquer partida em apenas um lance?, afirmou Kléber, para em seguida analisar o adversário. ?O Paraná começou bem, caiu de produção com a saída do técnico Lori Sandri, mas agora voltou a se reencontrar e certamente dará trabalho?. Abel Braga faz mistério em relação à escalação do Fluminense, porém deve armar o ataque tricolor com Tuta e Lenny, jovem talento que mostrou personalidade e bom futebol na derrota para o Corinthians.

Agencia Estado,

07 de outubro de 2005 | 19h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.