Felipe Fredes/Reuters
Felipe Fredes/Reuters

Vidal admite ter bebido antes de acidente e pede desculpas

Jogador tem a carteira de habilitação retida após acidente

ALMIR LEITE E GONÇALO JUNIOR, enviados especiais a Santiago, O Estado de S. Paulo

17 de junho de 2015 | 13h42

Atualizado às 18h30

Com lágrimas nos olhos e visivelmente abalado, o meia Arturo Vidal se desculpou por ter causado um acidente de trânsito na noite desta terça-feira, no Chile, onde está sendo disputada a Copa América 2015. Principal artilheiro da competição, o jogador da Juventus foi liberado pela Justiça de seu país depois de prestar esclarecimentos. 

Em breve declaração, o atleta admitiu estar sob efeito de álcool quando bateu sua Ferrari. "Eu peço desculpas a todos, esse acidente foi culpa minha. Ontem fui ao cassino e tomei umas bebidas. Pus em risco a minha vida e a de minha mulher, pus em risco a vida de muitas pessoas. Estou muito arrependido disso e quero agradecer as pessoas que me apoiaram. Quero me desculpar com meus companheiros e com todo o país. É muito difícil falar, mas estou muito envergonhado por tudo o que aconteceu. Eu errei com todos e tratarei de dar o máximo. Esta oportunidade que está sendo me dada é por algum motivo."

A rádio chilena "Bío Bío" divulgou nesta quarta-feira o que teria sido o diálogo entre o jogador e o policial que efetuou a prisão do camisa 8 da seleção chilena."Você vai me algemar? Me algeme que você vai ferrar todo o Chile", argumentou Vidal.

O técnico Jorge Sampaoli resolveu manter o jogador do grupo da seleção, mesmo com a pressão de dirigentes e de parte da imprensa do país para que fosse cortado do elenco que disputa a Copa América. "Eu não acho certo condenar alguém por um erro. Todos estamos sujeitos", disse, no início da tarde desta quarta-feira.

Vidal foi detido na noite de terça-feira, após envolver-se em um acidente de trânsito. O jogador estava sob efeito de álcool, de acordo com a polícia. Bateu sua Ferrari numa estrada nas proximidades da capital chilena, quando voltava para a concentração da "Roja". Havia estado em um cassino e teria bebido vodka, de acordo com pessoas que estavam no local.

Sabe-se que os jogadores da seleção pediram a manutenção de Vidal, mas Sampaoli negou que tivesse levado em consideração a opinião dos atletas. "Não pedimos para os jogadores opinarem para tomar a decisão", garantiu, constrangido, mas também demonstrando irritação com o questionamento. "Conversei com ele apenas para informar minha posição."

O treinador fez um alerta, que diz servir para Vidal e todo o grupo. "Para que o Chile tenha possibilidade de conquistar boas coisas no futuro, num meio tão competitivo como o futebol, teremos que focar somente na Copa América."

Vidal terá de pedir desculpas ao grupo por seu ato. Sampaoli defendeu a decisão de ter dado folga aos jogadores após o empate com o México, algo que não deverá se repetir. "Eu não posso controlar o que os atletas fazem no tempo livre."

No início da tarde desta quarta, Arturo Vidal, que passou a noite detido, foi liberado após audiência no juizado de Garantia de São Bernardo, na região metropolitana de Santiago. Teve a carteira de habilitação retida e está obrigado a se apresentar mensalmente no consulado do Chile em Milão (ele joga na Juventus italiana). A investigação terá duração de até 120 dias.

No final desta manhã, foi divulgado um vídeo do local do acidente, logo após a batida contra um utilitário, em que Vidal, ao saber que seria detido, disse ao policial com quem discutia: "Pode me prender, mas você vai f... todo o Chile".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.