Kyrill Kudryavtsev/AFP
Kyrill Kudryavtsev/AFP

Vidal diz que Chile jogou melhor e defende zagueiro após falha em lance decisivo

Meia afirma que atual campeão da América pode sair da Rússia de cabeça erguida após derrota para a Alemanha

Estadão Conteúdo

02 de julho de 2017 | 19h46

O meio-campista Arturo Vidal lamentou a derrota do Chile para a Alemanha por 1 a 0 neste domingo, na decisão da Copa das Confederações, no estádio Petrovsky, em São Petersburgo, na Rússia. Especialmente porque considerou que a sua equipe foi melhor durante a partida inteira.

"Tivemos as melhores oportunidades, mas não marcamos. No final, pagamos a conta. O futebol não recompensa os méritos, mas quem manda a bola para as redes e ganha", comentou o jogador do Bayern de Munique. "A maneira como foi a derrota nos deixa triste, mas estou orgulhoso da equipe", prosseguiu.

Arturo Vidal aproveitou para demonstrar esperanças em ir longe na Copa do Mundo de 2018, também na Rússia. "A maneira como jogamos hoje (domingo) tem que servir de esperança para que a gente venha aqui no próximo anos. Temos que sair desse torneio com a cabeça erguida pela maneira que jogamos", analisou.

O gol da derrota na decisão saiu de uma infelicidade do zagueiro Marcelo Díaz, que errou na saída de bola e deu o gol de presente para os alemães. Arturo Vidal saiu em sua defesa. "Não há nada que culpá-lo. Essa equipe é uma família. Quando ganhamos ou perdemos, fazemos isso juntos", disse.

O goleiro Claudio Bravo, que ganhou o troféu Luva de Ouro, seguiu a mesma linha de pensamento do companheiro de equipe. "Demos tudo em uma grande partida. Uma jogada determinou o resultado e não refletiu o que foi a partida. Sou agradecido pelo que evoluímos nos últimos anos", comentou.

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, usou as redes sociais para tentar consolar os jogadores após a derrota. "Como sempre @LaRoja deu tudo o que podia em campo. Estou segura que continuarão nos dando alegrias. Meu reconhecimento para a seleção. Vamos, Chile!", escreveu em sua conta no Twitter.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.