Vidal joga mesmo sem ter a condição ideal, diz o técnico Sampaoli

O treinador chilneno fez mistério com a escalação do time que enfrentará o Brasil, no Mineirão, e disse que não teme arbitragem

Leandro SIlveira e Vítor Marques - enviados especiais a Belo Horizonte, O Estado de S. Paulo

27 de junho de 2014 | 16h53

Jorge Sampaoli confirmou a presença do volante Arturo Vidal no duelo contra o Brasil, neste sábado, no Mineirão, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. Mas admitiu que seu principal jogador não está nas condições ideais para um jogo decisivo. "Não está perto dos 100%", disse o treinador do Chile.

Vidal ainda se recupera de uma lesão no joelho direito. Ele atuou nos dois primeiros jogos do Mundial, mas foi poupado da partida contra a Holanda, quando o Chile entrou em campo já classificado. O próprio jogador confessou que ainda sentia dores no joelho.

"Ele já atuou pela Juventus com 30% de sua capacidade, mas contamos com ele pela sua valentia. Não sabemos o tempo que ele irá aguentar", disse Sampaoli, em coletiva de imprensa nesta sexta-feira no Mineirão.

Vidal tem feito trabalho à parte do resto do elenco. Em especial, o departamento médico insistiu em sessões de fisioterapia e de reforço muscular - há pouco mais de um mês, ele passou por uma artroscopia no joelho.

A situação do zagueiro Gary Medel também preocupa Sampaoli. E é até mais grave. "Se o jogo fosse hoje (sexta-feira), ele não jogaria", afirmou o treinador.

Titular chileno, Medel sofreu uma lesão muscular na coxa esquerda. E, segundo Sampaoli, o zagueiro será reavaliado na manhã deste sábado, horas antes da partida - Brasil e Chile se enfrentam a partir das 13 horas.

Diante disso, Sampaoli manteve o mistério na escalação e não confirmou se vai jogar com uma linha de três zagueiros, o que abriria espaço para a entrada de Silva, ou se escala o meia Valdivia como titular contra o Brasil.

Ao contrário de seus jogadores, que têm dado declarações polêmicas sobre o tema da arbitragem, Sampaoli fugiu do assunto nesta sexta-feira. "Nunca entrei nessa questão. Isso não me preocupa. O que me preocupa é o Brasil, seu treinador e seus jogadores", avisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.