Silvia Izquierdo/AP
Silvia Izquierdo/AP

Vidal marca duas vezes, mas Chile empata com o México por 3 a 3

Valdivia tem gol mal anulado na segunda etapa e torcida reclama

Estadão Conteúdo

15 de junho de 2015 | 22h55

O Estádio Nacional de Santiago viu, nesta segunda-feira, a melhor partida da Copa América até aqui. Mesmo com um time B, porque o elenco principal vai jogar a Copa Ouro, o México deu trabalho para os donos da casa e conseguiu um bom empate em 3 a 3 contra o Chile. Vidal, com dois gols e uma assistência, foi o melhor da partida. Argentino naturalizado mexicano, o veterano Matías Vuoso, de 33 anos, também marcou duas vezes.

Os chilenos marcaram outros dois gols, com Valdivia e Alexis Sánchez, anulados pela arbitragem. Com o empate, estão com quatro pontos no Grupo A, empatados com a Bolívia. O México soma dois e o Equador, um. Mais cedo, os bolivianos fizeram 3 a 2 nos equatorianos, encerrando um jejum de 18 anos sem vitórias. Na sexta tem México x Equador e Chile x Bolívia.

O JOGO

Foram 20 minutos relativamente frios até que o jogo começou a pegar fogo. Na primeira chegada incisiva ao ataque, o México marcou. Vargas perdeu a bola no meio-campo, Flores puxou o contra-ataque, a bola passou por Medina e chegou até Vuoso para marcar. Albornóz ainda colocou a mão na bola, na tentativa de fazer pênalti, mas o árbitro corretamente mandou seguir.

O gol assustou a torcida por alguns instantes, mas no minuto seguinte Vidal já acalmou a massa. Aránguiz bateu escanteio, Vidal se deslocou até a marca do pênalti e cabeceou perfeitamente, no canto direito baixo.

A torcida se animou, mas o México não se abalou. Aos 27, Flores cabeceou e Bravo fez belíssima defesa. A bola ainda bateu no travessão, na linha, e não entrou. A zaga cortou para escanteio e, na cobrança, os mexicanos fizeram o segundo. Raúl Jiménez, do Atlético de Madrid, cabeceou sozinho, desta vez sem defesa para o goleiro do Barcelona.

O Chile não queria deixar a zebra atacar de novo na Copa América e foi em busca do empate. Conseguiu aos 41 minutos. Vidal tabelou com Isla e, da direita, cruzou na cabeça de Vargas, que testou com estilo para fazer 2 a 2.

O segundo tempo começou aberto, com chances para os dois lados, mas o Chile marcou primeiro. Vidal foi atropelado na área por Flores e o árbitro marcou pênalti. O volante mesmo bateu para virar a partida.

Sumido do jogo, Valdivia chegou a balançar as redes, num golaço - chute de longe, no ângulo -, mas a partida estava paralisada porque Alexis Sánchez estava impedido quando escorou a bola para o palmeirense. O gol fez falta porque o México empatou no minuto seguinte, aos 20. A zaga deu bobeira, Vuoso recebeu lançamento longo, nas costas da defesa chilena, e bateu na saída atrasada de Bravo.

A partir daí foram 25 minutos praticamente de ataque contra defesa. Enquanto Jorge Sampaoli colocava o Chile para frente, o México se fechava atrás. Valdivia perdeu boa chance, após passe de calcanhar de Vidal, e Alexis Sánchez teve gol anulado após cruzamento rasteiro de Jara. O atacante estava, aparentemente, na mesma linha do penúltimo defensor.

FICHA TÉCNICA:

CHILE 3 X 3 MÉXICO

CHILE - Bravo; Isla, Medel, Jara e Albornóz (Beausejour); Marcelo Díaz (Mena), Aránguiz, Vidal e Valdivia; Vargas (Pinilla) e Alexis Sánchez. Técnico - Jorge Sampaoli.

MÉXICO - Corona; Hugo Ayala, Julio Domínguez e Valenzuela; Aldrete (Carlos Salcedo), Medina, Güemez, Corona (Osuna) e Flores; Raúl Jiménez e Vuoso. Técnico - Miguel Herrera.

GOLS - Vuoso, aos 20, Vidal, aos 21, Raúl Jiménez, aos 28, e Vargas, aos 41 minutos do primeiro tempo; Vidal, de pênalti, aos 9, e Vuoso aos 20 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Victor Carrillo (Peru).

CARTÕES AMARELOS - Vidal e Pinilla.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Nacional, em Santiago (Chile).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.