Rubens Chiri/São Paulo.net
Rubens Chiri/São Paulo.net

VÍDEO: São Paulo é campeão sub-17 sobre o Palmeiras e jogo acaba em pancadaria

Árbitro relata socos e pontapés contra são-paulinos em decisão realizada no Pacaembu

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2019 | 17h33

O São Paulo conquistou nesta quarta-feira o título do Campeonato Paulista Sub-17 ao derrotar o Palmeiras nos pênaltis (7 a 6, após perder por 4 a 2 no tempo normal e ter vencido o primeiro duelo por 2 a 0), em jogo que ficou marcado pela confusão entre jogadores e comissão técnica dos dois clubes no final. O árbitro relatou na súmula algumas das agressões. Nas imagens de tevê também foi possível ver até membros da comissão técnica palmeirense batendo em atletas são-paulinos. Um jogador foi perseguido pelos rivais.

O jogo foi emocionante e marcado pela rivalidade de dois times que têm se acostumado a chegar nas decisões dos principais torneios da categoria. Mas o clima esquentou de fato após o apito final. Irritados com as provocações dos são-paulinos, palmeirenses foram tirar satisfação e sobraram socos e pontapés para todos os lados. 

O árbitro Thiago Lourenço de Mattos relatou a confusão na súmula. De acordo com a arbitragem, pessoas com o uniforme dos dois clubes iniciaram uma confusão generalizada, após são-paulinos comemorarem próximo da torcida palmeirense.  "Informo que após o término da partida, os atletas do São Paulo Futebol Clube foram comemorar próximo da torcida mandante (SE Palmeiras), o que ocasionou um confronto generalizado entre os atletas. Informo ainda que pessoas uniformizadas de ambas as equipes adentraram ao campo de jogo, dificultando o trabalho da arbitragem na identificação e aumentando o confronto que ali estava estabelecido. Dentre os atletas que participaram do jogo generalizado, foi possível identificar o atleta da SE Palmeiras de número 06, Sr. Renan Vitor da Silva, que havia sido expulso com o jogo em andamento e já estava em seu vestiário. O mesmo retornou e praticou agressões contra os jogadores da equipe do São Paulo FC, não sendo possível identificar os atingidos. As comissões técnicas tentaram impedir o confronto, e ressalto que foi possível identificar um membro uniformizado da equipe do São Paulo Futebol Clube, Sr. Tássio, que entrou em campo para comemorar e foi atingido com agressões, causando ferimentos visíveis no rosto, necessitando de atendimento médico, não sendo possível identificar os agressores do mesmo", informou o árbitro, através da súmula.

Veja como foi a confusão

Thiago Lourenço também relatou que expulsou dois jogadores do Palmeiras após ambos agredirem atletas rivais. "Informo que após o término da partida, o referido correu em direção de seu adversário de número 13, Sr. Patrick Lanza dos Reis, atingindo-o com socos e pontapés. Informo ainda que o atleta atingindo ao tentar correr das agressões, caiu-se ao solo, onde em ato contínuo, juntamente com mais atletas e pessoas uniformizadas com a camisa S.E. Palmeiras que não foi possível identificar, continuou-se as agressões contra este jogador. O atleta atingido foi protegido por membros de ambas as equipes", relatou o árbitro, se referindo a expulsão do camisa 2, Gustavo. 

O camisa 11, Vanderlan Barbosa da Silva, também recebeu cartão vermelho. "Informo que o referido atleta, após o término da partida, dirigiu-se contra os atletas da equipe São Paulo FC, que comemoravam a partida, atingindo vários jogadores com socos e pontapés, não sendo possível identificar os atingidos, devido ao confronto generalizado que se estabeleceu". 

Pouco depois da partida, o São Paulo se manifestou nas redes sociais contra a postura dos palmeirenses.  "O São Paulo Futebol Clube parabeniza a campanha feita pelo Palmeiras no Campeonato Paulista Sub-17 de 2019, cujas disputas finais foram em altíssimo nível e engrandeceram o trabalho de formação do futebol brasileiro. O clube, porém, lamenta a confusão ocorrida após o jogo desta quarta-feira (20), no Pacaembu, que culminou em atletas são-paulinos feridos e colocou em perigo a integridade física de todos os jovens em campo.  O São Paulo zela pelos jovens, que estão em processo de formação para se tornarem atletas profissionais, e espera que momentos como esse jamais se repitam.

O Palmeiras, até a publicação desta reportagem, não havia se manifestado. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.