Martin Bernetti/AFP
Martin Bernetti/AFP

Vídeos de torcedores embalam Uruguai em busca da classificação às oitavas da Copa

Seleção celeste volta a entrar em campo pelo Mundial na quarta-feira, diante da Arábia Saudita

Estadão Conteúdo

17 Junho 2018 | 18h18

Além dos treinos, estudos dos adversários, preparação física e mental, aprimoramento técnico, infraestrutura adequada e orientações do técnico Óscar Tabárez, o Uruguai conta com um ingrediente extra para avançar às oitavas de final da Copa do Mundo: vídeos enviados por torcedores que fazem a festa pelas ruas de Montevidéu são compartilhados em grupo fechado dos jogadores em rede social.

+ No dia seguinte à vitória na estreia da Copa, Uruguai recebe advertência da Fifa

+ Desistências de patrocinadores e cartolas 'esvaziaram' jogo do Uruguai, diz Fifa

"São emocionantes todos os vídeos que chegam para nós. Quando alguém recebe, passa no grupo da seleção para todos assistirmos. Estamos vendo como as pessoas estão no Uruguai e as mensagens que chegam nos fazem querer continuar ganhando mais para essas pessoas", afirmou o volante Carlos Sanchez, que entrou no segundo tempo da vitória sobre o Egito, por 1 a 0, na estreia da equipe celeste no Mundial.

O próximo adversário dos uruguaios será a Arábia Saudita, quarta-feira, às 12 horas (de Brasília), em Rostov. Sanchez avalia que tanto o triunfo uruguaio quanto a goleada sofrida pelos sauditas para a Rússia (5 a 0) não podem ser levados em consideração para este segundo jogo do Grupo A.

"Você precisa pensar no que vem a seguir. Todos os grupos são difíceis. Você tem que vencer o próximo jogo e não baixar a guarda. Com duas vitórias, você está a um passo da próxima fase", avaliou o jogador do Monterrey, do México, que aos 33 anos participa de seu primeiro Mundial.

 

Sanchez vive expectativa de começar a partida como titular, mas disse estar à disposição de Tabárez para ser usado a qualquer momento. "Eu me mato todos os dias para que a comissão técnica tenha confiança em mim, seja entre os 11 ou entrando durante o jogo", destacou o volante. "Estou aqui na seleção com muitos jogadores de alto nível. É uma família e há um apoio muito grande para que o jogador se sinta completo e possa entregar ao máximo", completou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.