Vila Belmiro pode ser interditada

O Santos vai ser julgado nesta quarta-feira, às 18h, pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e corre o risco de perder o mando de até três partidas, por causa do copo d?água atirado no rosto do técnico Hélio dos Anjos, durante a vitória por 4 a 1 sobre o Vitória, no dia 26 de setembro, na Vila Belmiro.O clube foi denunciado no artigo 213 ? atirar objetos em campo e atingir pessoas que fazem parte do jogo ? do Código Disciplinar, que prevê perda de um a três mandos e multa de R$ 50 mil a R$ 500 mil. A suspensão não pode ser aplicada para a partida contra a Ponte Preta, sábado, às 18h, devido ao curto espaço de tempo. Os outros quatro jogos em casa são contra Fluminense, Goiás, Grêmio e Vasco, na ordem.O Santos, por ser reincidente, dificilmente deixará de ser condenado, e a tendência é que perca mais de um mando. No dia 10 de julho, um torcedor jogou bomba no campo e por pouco não atingiu o lateral-direito Gabriel, na partida contra o São Paulo (vitória por 2 a 1). O clube perdeu um mando, cumprido no dia 21 de agosto, contra o Figueirense, em Mogi Mirim.Os jogadores estão preocupados com a possibilidade de uma punição mais pesada. ?Independentemente do adversário, o Santos dificilmente perde um jogo na Vila Belmiro. É evidente que é uma vantagem jogar em casa e se o Santos for punido, vai ser bom para o Atlético-PR?, disse Deivid. O time paranaense lidera com três pontos de vantagem sobre o Santos.O atacante, que retornou aos treinos com os companheiros nesta terça-feira à tarde, após a folga geral da segunda-feira, acha que o técnico Vanderlei Luxemburgo acertou em não colocar em campo contra o São Paulo, pela Sul-Americana, os jogadores mais desgastados fisicamente.?Joguei contra o Corinthians e depois só trabalhei leve. Foi bom, porque a dor que eu estava sentindo na parte posterior da coxa direita, desde a partida contra o Palmeiras, graças a Deus desapareceu.?ZE ELIAS - Nesta terça-feira à tarde, os jogadores correram durante quase uma hora e depois fizeram exercícios físicos. Zé Elias, que sofreu estiramento muscular na coxa esquerda contra o Flamengo, pela Sul-Americana, participou sem restrições e pode ser a principal novidade contra a Ponte Preta.?Aqui, ninguém fala que é titular, mas se minha escalação for confirmada, será o meu reinício. Quando sofri aquela contusão, saí de campo xingando porque quero sempre jogar. Além disso, naquele momento, sentia que estava me entrosando.?Durante a ausência, Zé Elias prestou atenção ao comportamento da defesa e do meio-de-campo, e agora sabe o que terá que fazer caso Luxemburgo confirme a sua entrada, no lugar de Fabinho ou Preto Casagrande. ?Além de saber como o time joga, sei que não vou ter dificuldade porque aqui é tudo bem falado. Cada um entra em campo sabendo o que terá que fazer. E todos fazem o que treinador quer?, concluiu o volante.Basílio, com uma lesão muscular leve na panturrilha esquerda, não treinou nesta terça e depende de teste para ficar na reserva sábado.

Agencia Estado,

12 de outubro de 2004 | 20h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.