Vila Nova empata contra o Criciúma e dá adeus ao sonho do acesso na Série B

Enquanto goianos lamentam, catarinenses continuam a luta para se manter na Série B

O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2018 | 22h09

O sonho do acesso acabou para o Vila Nova ao empatar contra o Criciúma por 2 a 2, neste sábado, no estádio Serra Dourada, em Goiânia, pela 37.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Com 56 pontos, em sétimo lugar, não pode mais superar o CSA, que tem 59, porém com mais vitórias: 16 a 14.

O Criciúma, com 44 pontos, continua na incômoda 16.ª posição, mas agora só depende de uma vitória em casa na 38.ª e última rodada diante do rebaixado Sampaio Corrêa, em Criciúma (SC). O Vila Nova vai apenas cumprir tabela diante do São Bento, em Sorocaba (SP).

O jogo começou eletrizante. Logo aos 39 segundos, o Vila Nova abriu o placar. Em uma falta cobrada no lado esquerdo por Alan Mineiro em direção à área, entre vários jogadores apareceu Geovane para um leve desvio de cabeça. A torcida festejou muito, mas não esperava que o empate surgisse tão cedo, aos cinco minutos. Após um rebote da defesa, a bola sobrou na intermediária para Eduardo, que bateu de primeira. O chute saiu forte e indefensável.

O gol animou o time catarinense que passou a tocar a bola com mais confiança. Aos 20 minutos, Zé Carlos recebeu sozinho na área, mas o goleiro Rafael Santos cobriu o ângulo e fez a defesa. Três minutos depois aconteceu a virada. Após escanteio, houve um desvio na primeira trave e Liel tocou de cabeça para as redes.

O Vila Nova tentou tocar a bola e até se acalmou, mas pouco ameaçou o goleiro Belliato. Chegou ao empate aos 49 minutos, quando Alan Mineiro lançou Washington, que ajeitou de cabeça para Elias. Ele pegou de costas, fez o giro em cima de Sandro e bateu de esquerda no canto do goleiro.

No segundo tempo, o Vila Nova voltou mais adiantando, tentando explorar as laterais do campo. Quase marcou aos 10 minutos em uma cabeçada de Diego Giaretta, que exigiu um salto de Belliato para espalmar. O goleiro seguiu exigido. Aos 16, Matheus Anderson desceu em diagonal e chutou à meia altura, com o arqueiro desviando com a ponta dos dedos. Na cobrança do escanteio, com Alan Mineiro, Elias tocou de cabeça e Eduardo afastou quase em cima da linha de gol.

Aos 24 minutos, Giaretta disparou uma bomba e Belliato de novo espalmou. Com o passar do tempo, o Vila Nova foi cansando e deu chances para os contra-ataques do Criciúma, que levou perigo duas vezes com Vitor Feijão. Sobrou esforço, do Vila Nova para marcar um gol e do Criciúma para se defender, mas o placar não saiu do 2 a 2.

FICHA TÉCNICA

VILA NOVA 2 x 2 CRICIÚMA

VILA NOVA - Rafael Santos; Maguinho, Wesley Matos, Diego Giaretta e Hélder; Geovane (Washington), Moacir, Mateus Anderson, Alan Mineiro e Juninho (Rafael Silva); Elias (Rafael Barros). Técnico: Hemerson Maria.

CRICIÚMA - Belliato; Sueliton, Sandro, Fábio Ferreira e Marlon; Liel, Jean Mangabeira, Ronaldo (alex Maranhão) e Eduardo; Andrew (Vitor Feijão) e Zé Carlos (Nicolas). Técnico: Mazola Júnior.

GOLS - Geovane aos 40 segundos, Eduardo, aos 5, e Liel, aos 23, e Elias, aos 49 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Geovane, Hélder e Wesley Matos (Vila Nova); Belliato, Jean Mangabeira e Liel (Criciúma).

ÁRBITRO - Igor Junio Benevenuto (MG).

RENDA - R$ 89.555,00.

PÚBLICO - 7.286 pagantes (8.602 no total).

LOCAL - Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.