Gustau Nacarino/Reuters
Gustau Nacarino/Reuters

Vilanova se despede e deseja sorte a sucessor no Barça

Pelo clube catalão, treinador foi campeão espanhol na temporada passada

AE, Agência Estado

20 de julho de 2013 | 16h40

BARCELONA - Um dia após deixar o comando do Barcelona em razão do agravamento dos seus problemas de saúde, Tito Vilanova se pronunciou através de uma carta aberta publicada no site oficial do clube. O treinador aproveitou a oportunidade para agradecer o apoio e carinho recebido de dirigentes, jogadores e torcedores da equipe, além de desejar sorte ao seu sucessor. Ele afirmou que foi um privilégio trabalhar no Barcelona e que realizou um sonho ao dirigir a equipe catalã, declarando que viveu "anos maravilhosos" no clube.

"Não é fácil sair desse grupo de pessoas muito especiais, jogadores, companheiros de comissão técnica e amigos com quem partilhei tantas experiências inesquecíveis. Sou eternamente grato por tudo o que me deram e fizeram. A qualidade humana e futebolística desta equipe supera qualquer obstáculo", disse.

"Eu também quero agradecer especialmente ao presidente, todo o Conselho de Administração e ao diretor esportivo Andoni Zubizarreta por toda a confiança que depositaram em mim e, acima de tudo, o seu apoio incondicional, tanto esportivo como pessoal", completou.

Ele também desejou sorte ao seu substituto, que ainda não foi definido, no clube que classificou como "melhor do mundo". "Não posso terminar esta carta sem desejar boa sorte e todo o sucesso para o novo treinador do melhor time do mundo", declarou.

Vilanova ressaltou que, apesar da sua saída, seguirá ligado ao Barcelona. "Continuarei perto e continuarei trabalhando para este clube que eu amo em outras tarefas da área esportiva", afirmou.

O agora ex-técnico do Barcelona também pediu respeito e privacidade nesse momento complicado para ele e seus familiares. "Estes são tempos difíceis para minha família e então eu peço respeito e compreensão da mídia. Agora que não sou mais o treinador do Barça, espero ter a paz e privacidade que eu e minha família precisamos", comentou.

A saída de Vilanova do comando do Barcelona foi anunciada na última sexta-feira, em uma sessão para a imprensa que contou com a presença de Sandro Rosell, presidente do clube catalão, Zubizarreta, além de vários jogadores, como o zagueiro Carles Puyol e o atacante Lionel Messi.

Vilanova começou a carreira no Barcelona, como auxiliar técnico das divisões de base. Ele chegou ao time principal na temporada 2008/2009, como braço direito do técnico Pep Guardiola, e ficou nesta função até o fim da temporada 2011/2012, quando o treinador decidiu deixar o clube e Vilanova assumiu a responsabilidade de comandar a equipe.

Sob seu comando, o Barcelona chegou ao título do Campeonato Espanhol, mas demonstrou uma queda em relação do time de Guardiola. A equipe catalã decepcionou na Liga dos Campeões da Europa, não tanto pela queda nas semifinais, mas pela forma como foi eliminada, com derrotas por 4 a 0, na Alemanha, e 3 a 0, na Espanha, para o Bayern de Munique. Sem ele, o clube catalão pensa agora em um substituto, que deverá ser anunciado nos próximos dias.

Vilanova foi diagnosticado pela primeira vez com câncer no fim de 2011, quando ainda era auxiliar de Guardiola. Ele passou por cirurgia para retirada do tumor, que reapareceu no fim de 2012. Após nova operação, o treinador chegou a ir para Nova York, onde ficou três meses, onde realizou tratamento, mas sofreu uma nova recaída e, dessa vez, teve que abandonar o comando do Barcelona.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBarcelonaTito Vilanovafutinter

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.