Sergio Gonzalez/AP
Sergio Gonzalez/AP

Violência brutal em estádio faz Federação Mexicana cancelar jogos e abrir investigação

A briga generalizada entre torcedores de Querétaro e Atlas, espalhada da arquibancada ao gramado, deixou pelo menos 26 feridos

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2022 | 10h48

Cenas de violência e brutalidade tomaram todo o estádio La Corregidora, no México, no final da noite de sábado, e chocaram o mundo do futebol. A briga generalizada entre torcedores de Querétaro e Atlas, espalhada da arquibancada ao gramado, deixou pelo menos 26 feridos, de acordo com informações do Governo Estadual de Querétaro, situação que motivou a Federação Mexicana de Futebol a suspender todos os jogos deste domingo e a abrir uma investigação. Três pessoas estão em estado grave.

A entidade optou por cancelar partidas de futebol de todas as divisões. A primeira divisão mexicana, da qual fazem parte os times protagonistas da confusão, teria três jogos da nona rodada ao longo do dia: Pumas x Mazatlán, Pachuca x Tigres e Xolos de Tijuana x Atlético de San Luis. Todos foram cancelados, assim como eventos de futebol feminino e de categorias de base.

O futebol mexicano fica, portanto, parado neste domingo em razão da brutalidade ocorrida na noite anterior. Segundo informações das autoridades de segurança, nove feridos foram internados para tratamento médico, dois deles em estado grave. Até o momento, nenhuma morte foi confirmada oficialmente. 

A briga começou durante o segundo tempo da partida, na arquibancada. Conforme foi tomando maiores proporções, torcedores começaram descer para o campo em busca de proteção. De acordo com o jornal mexicano Excelsior, foram os próprios seguranças do estádio que abriram as rampas de acesso ao gramado.

Como é possível ver em imagens que circulam nas redes sociais, crianças e mulheres estavam no campo. Enquanto isso, os jogadores correram para o vestiário. Aos poucos, o local foi tomado por cada vez mais gente, inclusive aqueles dispostos a brigar, que protagonizaram cenas chocantes de violência.

Alguns atletas, como o goleiro do Querétaro, Washington Aguerre, continuaram em campo para tentar conter os torcedores. Imagens da transmissão televisiva e de fotógrafos presentes no estádio mostram Aguerre rodeado por invasores, dialogando com eles. Em outras imagens, aparece com os braços erguidos para cima, pedindo calma. 

Até agora, nenhuma punição foi dada ao Querétaro, mandante do jogo, mas as autoridades responsáveis já sinalizaram que isso deve acontecer. Mikel Arriola, presidente da Federação Mexicana, disse que, em breve, serão anunciadas “sanções exemplares”. Já o governador de Querétaro, Kuri Gonzáles, afirmou que no estado “não há impunidade” e que deu instruções para que “a lei seja aplicada com todas as suas consequência.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.