Violência da torcida da Ponte preocupa PM

A Polícia Militar de Campinas está preocupada com a ameaça de rebaixamento da Ponte Preta para a Segunda Divisão do Brasileiro, pois já percebeu que os torcedores estão cada vez mais violentos. ?A gente não vai aceitar passivamente que a Ponte caia. Fizeram muita sacanagem com a gente no Brasileiro. O time terá de continuar na Primeira Divisão. Por bem ou por mal?, disse neste domingo Ricardo Souza, que vestia a camiseta da Torcida Jovem, a que mais atormenta os policiais. A sede da torcida fica na rua de trás do Estádio Moisés Lucarelli, onde foi disputado o jogo contra o São Paulo. Os ponte-pretanos se reúnem antes e depois das partidas. E a PM desloca soldados para vigiá-los. Foi assim que evitou que o ônibus do São Paulo fosse atingido por rojões e pedras atiradas pelos torcedores. Talvez por sadismo da diretoria da Ponte Preta, os árbitros sempre saem do estádio pelo portão que fica em frente à sede da Jovem. São necessários vários policiais para protegê-los em todas as partidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.