Virada corintiana foi na base da raça

Empolgante o retorno do Corinthians ao Pacaembu. Com apenas nove jogadores empurrados por mais de 31 mil torcedores, o time venceu nesta quinta à noite de virada o Paysandu por 3 a 2. Betão e Bobô foram expulsos. O gol da vitória, de Jô, aconteceu só aos 41 minutos do segundo tempo.Com o resultado, o Corinthians segue sua arrancada e já está em terceiro lugar no Brasileiro com 25 pontos. A apenas um ponto da líder Ponte Preta. Bobô, Betão, Mascherano e Tevez estão suspensos e não irão enfrentar o Vasco, domingo, no Rio de Janeiro. "Foi o jogo mais emocionante e importante que eu fiz pelo Corinthians. Essa vitória teve a cara do nosso time. Não desistimos nunca, com jogadores a menos, corremos, lutamos e vencemos. Essa é a cara do Corinthians", dizia, deslumbrado, o argentino Tevez."Eu dei mais uma vez a resposta em campo para quem ainda fala que estamos precisando de atacante. Joguei bem de novo e fiz o gol da vitória. Isso sentindo dores fortíssimas na minha perna. Estava insuportável, mas fiz o que eu tinha de fazer. Jogar no Corinthians é isso", desabafava Jô. Ele driblou dois jogadores e bateu forte de pé direito ao marcar o gol decisivo da partida."O Jô e o Rosinei estavam se arrastando em campo. Os dois estavam contundidos e nem agüentavam andar. Os dois mostraram toda a raça que marca os jogadores do Corinthians de verdade", elogiava Fabio Costa."Estou feliz com a vitória, mas preocupadíssimo com o que aconteceu aqui no Pacaembu. Precisamos parar de dar bobeira jogando em casa. Tomamos dois gols contra o Paysandu. Não será sempre que viraremos os jogos como este. Precisamos corrigir rápido os nossos erros", avisava o goleiro.Foi a quinta vitória do Corinthians no Brasileiro por virada. Está virando a marca registrada desse time. "Não sei o que acontece com a gente. Parece que acordamos depois de tomarmos gols dos adversários. Enquanto estamos virando o jogo, tudo bem", disse Roger.Mascherano fez a sua estréia no Pacaembu. E não atuou bem. Tomou o seu terceiro cartão amarelo em três partidas seguidas. Márcio o tirou de campo no intervalo para não ser expulso.Revoltado estava Betão. Ele havia recebido o terceiro cartão amarelo e ainda depois recebeu o vermelho. Não poderá atuar nos dois próximos jogos. "Eu fui falar que não mereci o cartão amarelo. Ele me mandou calar a boca e disse que era ele quem mandava no jogo. Eu pedi para ter educação comigo, já que eu estava sendo educado com ele. Só que resolveu me expulsar. É duro uma pessoa despreparada apitar uma partida tão importante. Foi a minha primeira expulsão da minha carreira. A minha última expulsão tinha sido no infantil em 1998", reclamava, tenso. Mas a torcida só queria saber de mais uma virada histórica do Corinthians.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.