Visita de Ronaldinho causa mal-estar

A visita de Ronaldinho à Seleção Brasileira, prevista para esta quarta-feira, 10 horas, causou um mal-estar entre alguns jogadores. Romário, o mais carismático entre os 13 atletas que estão na Granja Comary, disse hoje que a presença do atacante da Inter de Milão só terá valor para ele, Ronaldinho. O desprezo pelo "Fenômeno" é apenas um dos problemas que o poder da CBF está enfrentando na tentativa de melhorar a imagem da entidade e da própria Seleção. "Para ele a visita é importante, já que o objetivo do Ronaldo é voltar à Seleção. Vai ser bom para conversar com o grupo. Só isso", declarou Romário, com o tom irônico de sempre. Os outros jogadores também foram econômicos no assunto Ronaldinho. Nenhum deles quis enaltecer o craque. Ressaltaram apenas que a Seleção Brasileira precisa do apoio de todos para chegar ao Mundial de 2002. "O objetivo de todos nós é classificar o Brasil para Copa do Mundo. Todo mundo tem de colaborar", comentou Jardel. Scolari discorda de Romário. "Ele já está convidado para trabalhar com a gente. Vem para ouvir algumas palestras, participar do grupo. Não levo em conta qualquer boato sobre o pensamento dos jogadores a respeito do rapaz. O Ronaldinho é sim importante para o grupo". A presença de Ronaldinho faz parte da estratégia da CBF de transmitir uma boa imagem do poder do futebol brasileiro. Ricardo Teixeira, presidente da entidade, não tem medido esforços para agradar alguns veículos de comunicação. Hoje, Teixeira levou repórteres da revista Veja para almoçarem com os atletas e o técnico Luiz Felipe Scolari no refeitório da concentração - fato raro na história da Seleção quando o time se concentra na Granja Comary. A imprensa nunca teve acesso ao alojamento dos atletas em Teresópolis. Scolari teria ficado constrangido com a "visita" que veio para almoçar. A revista prepara uma matéria especial com o treinador.Outra tacada de Teixeira foi acertar diretamente com a produção do programa de Jô Soares a participação de Felipão. O técnico treina o time amanhã de manhã e em seguida embarcará para São Paulo onde gravará a entrevista com Jô Soares. Vou a São Paulo para o Programa do Jô e depois no programa do Pelé (estréia no canal a cabo PSN), compromissos que já estavam agendados". O treinador não costuma deixar seus jogadores na concentração e viajar para compromissos particulares. Como está chegando agora na Seleção Brasileira, teve de atender aos apelos da CBF. Ricardo Teixeira também queria trazer Guga para Teresópolis.Cativou o staff do tenista, mas até hoje à noite não tinha nenhuma garantia de que o número um do mundo visitaria a Granja. "Se ele tiver um tempo para vir até aqui e entender que será importante para o nosso trabalho a sua presença, as portas estarão sempre abertas", disse Scolari. Com Ronaldinho e sem Guga, a Seleção começa a se encorpar a partir de amanhã com a chegada da primeira leva de "estrangeiros". Roberto Carlos, Dida, Roque Júnior e Dida se apresentam às 12h na Granja. Quinta-feira, será a vez de Antônio Carlos, Cafu e Emerson, os campeões da Roma. E domingo, Rivaldo. "A partir de segunda-feira, teremos uma noção do que podemos fazer em termos de um time titular", observou Felipão, que não contava com uma espetada de Romário na organização da CBF. "É a bagunça de sempre, espero que dessa vez a bagunça seja mais organizada. Dentro de campo, com o novo treinador, tudo está indo muito bem. Fora de campo, o futebol brasileiro continua a mesma bagunça. Não muda nunca".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.