Vítima de racismo no metrô de Paris recusa convite do Chelsea

Souleymane acredita ser muito cedo para ir a uma partida de futebol

O Estado de S.Paulo

06 Março 2015 | 18h54

Souleymane S, francês que sofreu racismo por torcedores do Chelsea no metrô de Paris, recusou o convite feito pelo time inglês para que ele assista à partida de volta contra o Paris Saint-Germain, em Londres. Apesar da decisão, o franco-mauritano disse que encontraria os dirigentes dos Blues, mas que ainda é muito cedo.

Segundo Jim Michel-Gabriel, advogado de Souleymane S, que prefere não revelar o sobrenome, "meu cliente ainda está muito chocado com o que aconteceu no metrô". Sobre a possibilidade de ir a um outro jogo do Chelsea em Stamford Bridge, Gabriel acredita que talvez isso ocorra. "Encontraremos os representantes do clube, mas não durante uma partida oficial."

Em 17 de fevereiro, antes do jogo de ida entre Paris Saint-Germain x Chelsea, Souleymane foi empurrado para fora de um vagão do metrô parisiense e impedido de entrar por alguns fãs do clube londrino. Depois da publicação de um vídeo amador do acontecimento, cinco aficcionados do Chelsea foram banidos pelo resto da vida de entrarem em Stamford Bridge. O convite para que o francês fosse ao jogo da volta foi feito logo após o anúncio da punição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.