Vitinho vê Seedorf como pai e diz aceitar cobranças

A discussão entre Seedorf e Gilberto, domingo, na vitória por 3 a 1 sobre a Portuguesa, ainda repercute, mas Vitinho garante que as cobranças do meia holandês não incomodam a ninguém no Botafogo. O atacante, de apenas 19 anos, declarou que gosta de receber conselhos de Seedorf e inclusive o vê como um pai no futebol.

AE, Agência Estado

20 de agosto de 2013 | 14h17

"Considero como um pai. Ele abraça a gente. Por mais que reclame, é para o bem de todos. Vamos crescendo e aprendendo com ele. É uma felicidade imensa. Recebo o carinho do grupo todo e do professor também, mas ele é uma peça-chave, dá broncas e elogios porque acredita em mim, sabe que tenho talento e quer me ajudar a ter sucesso", disse.

Destaque do Botafogo, líder do Campeonato Brasileiro, Vitinho garantiu que vai encontrar alternativas para fugir da marcação, que deverá se tornar mais dura com o seu crescimento. "Estou tendo uma crescente grande nessa relação, podendo alternar minhas ações no jogo. Contra o Internacional, fui muito bem. Estou botando isso em mente para alternar, não ficar tão previsível, como falou o Oswaldo. Vou procurar ser o mais imprevisível, mudar minhas ações para ter mais êxito nas próximas partidas", explicou.

Assim, Vitinho promete usar as jogadas individuais como alternativa contra a marcação dos adversários. "O torcedor vai entender quando der certo. Como estou em crescente, vou continuar tentando. Se não tentar, é fora do meu papel. É o que professor me pede para fazer e o que tenho de melhor", afirmou.

Após o jogo com a Portuguesa, o Botafogo volta as suas atenções para a Copa do Brasil, pois na quinta-feira vai receber o Atlético Mineiro no Maracanã, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Os dois times já se enfrentaram neste ano, no Brasileirão, e empataram por 2 a 2 no Independência.

"Sabemos que é bem diferente um campeonato do outro, mas são as mesmas equipes. Já conhecemos, o que facilita. O foco não muda, o objetivo é a vitória, é o que vamos buscar. Vamos jogar em casa, a prioridade é não tomar gols e fazer, pois estaremos em casa e ao lado da torcida. Vamos brigar para buscar o resultado", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.