Felipe Espindola/São Paulo FC
Felipe Espindola/São Paulo FC

Vitor Bueno defende permanência de Diniz no São Paulo: 'Nunca treinei tanto'

Meia e outros jogadores elogiam trabalho do treinador, que sofre críticas de torcedores e conselheiros do clube

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

05 de dezembro de 2019 | 04h30

Criticado por torcedores e conselheiros do São Paulo, o técnico Fernando Diniz foi defendido pelos jogadores após após a vitória por 2 a 1 sobre o Internacional, que garantiu vaga na fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2020. Os atletas pediram a permanência do treinador para a próxima temporada. Admitiram culpa na fraca campanha e saíram em defesa do comandante.

O meia Vitor Bueno disse que nunca treinou tanto em sua carreira como agora no São Paulo. Tiago Volpi, Juanfran, Tchê Tchê, Igor Gomes e Pablo foram outros jogadores que elogiaram o trabalho de Fernando Diniz. O treinador foi contratado pelo São Paulo no fim de setembro, depois da demissão de Cuca. Desde então, alterna boas com más apresentações. O time ainda não passa confiança para o seu torcedor. Não está descartado o futebol sofrer mudanças.

"Ele é um cara que dá a vida pelo clube, pelos jogadores e pelos outros funcionários do São Paulo. Você não vê ali dentro, mas o que esse cara faz eu nunca vi igual. Tenho de enaltecer o trabalho que o Diniz faz com a gente, nunca treinei tanto na minha vida. Altos e baixo não queremos nunca, mas trabalhamos para nos consolidar. No ano que vem, vamos buscar um ano consolidado. Vamos descansar e voltar pensando em algo maior do que foi neste ano", disse Vitor Bueno, autor do segundo gol sobre o Inter.

Vitor Bueno também comemorou a classificação do São Paulo para a fase de grupos da Libertadores. A equipe está em sexto lugar no Campeonato Brasileiro, com 60 pontos, e faz o último jogo da temporada no domingo, às 16h, contra o CSA, em Alagoas, sem correr riscos de perder o posto. "Significa muito (a vaga). Tentamos o título, mas quando não tinha mais possibilidade, focamos na Libertadores. Foi um ano conturbado. Que o ano que vem seja melhor. Que possamos fazer uma excelente pré-temporada. Foi um alívio essa classificação, sabemos que estamos devendo, foram muitos altos e baixos na temporada", disse o meia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.