Nilton Fukuda|Estadão
Nilton Fukuda|Estadão

Vitor Hugo não se intimida com Calleri: 'É só sentar a madeira'

Zagueiro do Palmeiras brinca com artilheiro do Tricolor

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2016 | 19h32

O zagueiro Vitor Hugo usou do bom humor para esquentar o clássico entre São Paulo e Palmeiras, neste domingo, no estádio do Morumbi, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. O defensor garantiu não se intimidar com a possibilidade de ter que enfrentar o argentino Jonathan Calleri, famoso por provocar os adversários durante a partida.

"Ele entrou contra a gente no Paulista e já deu para sentir um pouquinho de como ele joga. Mas esse negócio de contato também é nossa praia, né? A gente chega junto também e não tem problema. É só chegar e sentar a madeira (risos). Estou brincando. Vamos marcar da melhor maneira possível", disse o palmeirense, autor do primeiro gol na vitória por 2 a 0 sobre o Fluminense, na última quarta-feira, no estádio Allianz Parque.

Apesar da brincadeira, Calleri não é nome certo para o clássico, pois se recupera de dores musculares ao contrário de Vitor Hugo, que vive boa fase e mostra muito vigor físico com seus saltos mortais para comemorar gol. Embora tenha sido ameaçado de multa caso repetisse o salto, o zagueiro já avisou que vai continuar fazendo a acrobacia.

"Na hora eu nem pensei nisso (multa). Eu fiz o gol contra o XV e não dei cambalhota. Olha o tempo que demorou para sair outro (o gol diante do XV de Piracicaba foi no fim de fevereiro). Agora que eu fiz, se os gols saírem, vou continuar dando cambalhota. O mesmo risco que eu tenho dando cambalhota eu tenho disputando de cabeça", comparou.

O elenco do Palmeiras se reapresentou nesta quinta-feira e o lateral-esquerdo Egídio e o meia Cleiton Xavier continuam como dúvidas, por causa de problemas musculares. Ambos serão reavaliados no treino desta sexta e caso não consigam ir para o campo, aumentam as chances de não enfrentarem o São Paulo no domingo.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCPalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.