Vítor Júnior chega ao Santos esbanjando confiança

Contratado junto ao Sport, meia é aposta de Luxemburgo para vaga de Zé Roberto

Agencia Estado

26 de junho de 2007 | 16h38

Dentuço, sorridente, 20 anos, 1,67 metro de altura e muita confiança. Esse é Vítor Júnior, meia-esquerda que o Santos foi buscar no Sport para disputar com Pedrinho e Rodrigo Tabata a vaga deixada por Zé Roberto. Ele assinou contrato de dois anos, foi apresentado nesta segunda-feira, e dependendo do que mostrar nos treinos da semana, pode estrear sábado, contra o Grêmio."Sou um meia habilidoso, chego à frente com facilidade e coloco os companheiros para fazer o gol", apresentou-se Vítor Júnior, que nasceu em Porto Alegre e começou a carreira no Internacional. "Muitas pessoas me chamavam de Ronaldinho Gaúcho canhoto", disse, apressando-se em explicar: "Nem tanto pelo futebol, mas devido à fisionomia."A primeira preocupação de Vítor Júnior ao chegar ao CT Rei Pelé foi esclarecer que tem 1,67 metro, e não 1,65 metro, como estava sendo divulgado. Ele se sentiu discriminado no Internacional, quando estava surgindo para o futebol. "Não tive oportunidade lá por causa do preconceito que há no Sul contra jogadores pequenos. Depois fui para o Cruzeiro e só não fiquei lá porque não houve acordo na hora de assinar contrato."Como foi apontado como "um cracaço" pelos dirigentes do Sport, Vitor Júnior sabe que vai ser cobrado pela torcida, mas não se assusta. E confirma que quer ser o substituto de Zé Roberto. "Estou pronto para enfrentar qualquer obstáculo. Vai ser difícil fazer tudo o que Zé Roberto fez pelo Santos, até porque ele é um jogador que dispensa comentários. Zé Roberto é um jogador e Vítor Júnior outro, mas tenho condições de jogar num grande clube. Vocês vão ver", assegurou.Além de Internacional, Cruzeiro e Sport, Vítor Júnior jogou por dois clubes do leste europeu em 2006: Dínamo de Zagreb, da Croácia, onde se sagrou campeão da temporada 2005/2006, e FC Koper, da Eslovênia. "Esse ano que passei no exterior foi importante para eu ganhar uma experiência a mais. Inclusive aprendi a sair da marcação." O comentário no clube é de que o Santos vai contratar mais dois bons jogadores e o nome de Roger, que está encostado no Corinthians, voltou a ser comentado, embora o seu procurador, Luiz Rocha, não confirme as negociações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.