Rodrigo Coca/Ag Corinthians
Rodrigo Coca/Ag Corinthians

Vitor Pereira admite erros do Corinthians, mas ressalta pouco tempo de trabalho: ‘Não faço milagres’

Treinador português acredita que time alvinegro deu espaço ao adversário e criticou arbitragem por permitir entradas mais duras

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2022 | 10h46

O técnico Vitor Pereira admitiu que o Corinthians fez uma partida abaixo da crítica na derrota por 1 a 0 para o Palmeiras, nesta quinta-feira, no Allianz Parque. O português citou o pocuo tempo à frente do time alvinegro como um dos fatores para o revés no dérbi, citando a diferença no tempo de trabalho com o rival, comandado por Abel Ferreira

"Fundamentalmente, foram dois clássicos jogados, um com três dias de trabalho e outro com duas semanas, contra um clube que tem dois anos de trabalho. Eles têm dois anos de trabalho, nós duas semanas. Não é fácil construir um processo de jogo, não faço milagres, não tenho varinha mágica, não sou mágico", disse. 

Para Vitor Pereira, um dos fatores que prejudicou a atuação do Corinthians foi a falta de tranquilidade na primeira etapa, quando o time saiu atrás do placar após o gol de Raphael Veiga. Para o comandante, o time melhorou no segundo tempo, mas o excesso de faltas permitido pela arbitragem prejudicou o jogo do time corinthiano. 

"Hoje tivemos um adversário mais forte, mais agressivo do que a Ponte Preta, um árbitro que deixou também que a agressividade estivesse sempre no limite e não conseguimos de fato nos libertar daquela pressão", disse o técnico. 

"No segundo tempo tivemos um bocadinho mais de paciência, que foi um erro que cometemos na primeira parte. No segundo tempo já não vi o Palmeiras da mesma forma, conseguimos libertar-nos em alguns momentos, e o que acabou por decidir o jogo foi uma falta que para mim não foi, na entrada da área, e depois acabamos por sofrer o gol nesse escanteio."

A falta de agressividade no ataque e a capacidade de identificar espaços no campo adversário também foram alguns dos fatores citados pelo português como determinantes para o revés diante do Palmeiras. Para o treinador, o setor ofensivo falhou em dar espaços para as bolas longas vindas da defesa adversária. 

"As coisas evoluíram assim, na segunda parte melhoramos, mas depois sofremos o gol de escanteio. Sabíamos perfeitamente daquela entrada onde se passa o gol, na entrada da pequena área, mas não fomos capazes de comunicar e antecipar a ação."

Há menos 15 dias como técnico do Corinthians, este foi o segundo clássico disputado por Vitor Pereira. Anteriormente, o time do Parque São Jorge já havia perdido para o São Paulo, por 1 a 0, no Morumbi — mantendo um tabu de cinco anos sem vitórias na casa do adversário — sob a batuta do novo comandante. Contudo, a goleada por 5 a 0 sobre a Ponte Preta deu ao torcedor a esperança da implementação de um bom trabalho. 

Já classificado para as quartas de final do Paulistão, com a liderança do Grupo A garantida, o Corinthians volta a campo no domingo, quando encara o Novorizontino, fora de casa, às 16h. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.