Vitória da seleção satisfaz medalhões

A vitória da seleção brasileira sobre a Colômbia deixou entusiasmado o bicampeão mundial Nilton Santos. Para o craque, a vitória foi "fácil e legal" por causa da qualidade dos jogadores e do entrosamento entre o técnico Carlos Alberto Parreira e o coordenador-técnico Zagallo. "Sou do tempo do Flávio Costa, que não ouvia ninguém. Parreira e o Zagallo estão dando um exemplo ao trocarem idéias e se ajudarem", frisou Nilton Santos. "Não via um jogo da seleção há muito tempo e adorei o que assisti."Já o coordenador-técnico da seleção na campanha do pentacampeonato mundial, Antônio Lopes, também gostou do futebol apresentado pelo time. Destacou o desempenho do atacante Ronaldo e apontou semelhanças entre a equipe de 2002 e a atual. "Tem a diferença de que jogávamos com três zagueiros, mas tínhamos um volante fixo, Gilberto Silva, e liberávamos o Kléberson", explicou Lopes. "Já o Parreira atua com dois zagueiros, mas prendeu o Gilberto Silva e o Emerson."O capitão da seleção na Copa de 1970, Carlos Alberto Torres, elogiou a segurança do goleiro Dida, a categoria do lateral-esquerdo Roberto Carlos, além da habilidade de Ronaldo e, como destaque negativo, Lúcio. Para ele, o zagueiro se mostrou intranqüilo e deverá ser repreendido por Parreira.Campeão Mundial em 1970 o craque Brito enfatizou a importância de o Brasil ter vencido na estréia, atuando na casa do adversário e suportando a pressão dos torcedores. O ex-jogador lembrou ainda que o conjunto da equipe melhorou e aproveitou para mandar um "recado" para Parreira. "O Parreira precisa acabar com essa indecisão na equipe e escolher logo os jogadores titulares", considerou Brito. "Esse negócio de substituir jogador faltando poucos minutos para o fim da partida é um desrespeito."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.