José Manuel Ribeiro / AFP
José Manuel Ribeiro / AFP

Vitória de Portugal em amistoso não empolga técnico: 'Muito a melhorar'

Fernando Santos afirma, entretanto, que equipe deve crescer durante a Copa do Mundo

Estadão Conteúdo

08 Junho 2018 | 09h34

O treinador Fernando Santos reagiu com cautela à vitória da seleção portuguesa por 3 a 0 sobre a Argélia, nesta quinta-feira, no último amistoso disputado por Portugal antes da estreia na Copa do Mundo. De acordo com o técnico, o placar folgado não refletiu o que foi a totalidade do jogo disputado em Lisboa.

+ Com ausências de peso, Copa terá 186 nomes do Mundial de 2014 e atleta de 45 anos

+ Irã é a primeira seleção a chegar na Rússia para a disputa da Copa

"Ainda há muitas coisas a melhorar. A equipe foi bem. Nos primeiros 20, 25 minutos, estivemos sempre muito compactos, com bons movimentos ofensivos e boa reação à perda da bola. Nesse período, fizemos com que a Argélia parecesse uma equipe mais frágil do que é na realidade. Depois, baixamos um pouco o ritmo e passamos a fazer mais cruzamentos, o que favoreceu nossos adversários", resumiu o treinador na coletiva de imprensa depois da partida.

O técnico admitiu que é natural que os atletas se poupem em amistosos. "É normal, os jogadores não são máquinas. Quando voltamos a circular bem a bola, com paciência, encontramos espaços e acabamos fazendo o segundo gol. Na segunda etapa, vieram as substituições e o ritmo diminuiu, mas poderíamos ter marcado mais gols", analisou.

 

Santos acredita que Portugal vai evoluir durante a participação na Copa. "Ainda estamos longe do degrau que quero e é com o passar do torneio que vamos crescendo. Vamos ter de afinar mais algumas coisas. Há jogadores que nunca tinham jogado na seleção nacional e, por isso, é natural que haja aspectos a corrigir", disse o técnico atual campeão da Eurocopa.

A seleção portuguesa vai estrear na Copa do Mundo contra a Espanha, no dia 15, em Sochi. As outras duas partidas de Portugal no Grupo B vão ser contra Marrocos e Irã.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.