Vitória deixa o Guarani aliviado

A vitória do Guarani sobre o Rio Branco, por 2 a 1, sábado, em Americana, foi uma evidente demonstração de que o jovem elenco bugrino aprendeu uma lição: muitas vezes o que importa não é jogar bem, mas simplesmente vencer. O retrospecto era justamente o contrário: o time vinha jogando bem, mas perdendo os jogos. "São exemplos como estes que vão sendo assimilados pelos jogadores e serão importantes no futuro. Volto a dizer que nosso grupo é jovem, por isso mesmo muito instável. Mas todos estão trabalhando ao máximo", diz o técnico Jair Picerni, mais aliviado com o resultado que deixou o time com 20 pontos, em 12º lugar, e quase livre da ameaça do rebaixamento no Campeonato Paulista. A queda para a Série B do Campeonato Brasileiro, ano passado, ainda deixou marcas em vários jogadores do atual elenco. E as últimas três derrotas seguidas estavam incomodando. O time perdeu para o Santa Cruz, por 2 a 0, pela Copa do Brasil, além de cair diante de Ituano (4 a 1) e São Paulo (2 a 1) pelo Paulistão. O objetivo, agora, é se concentrar em cima do jogo contra o Corinthians, quinta-feira à tarde, no Brinco de Ouro, em Campinas. Um desfalque importante será o zagueiro Paulo André, que recebeu o terceiro cartão amarelo. Ele foi considerado o melhor em campo em Americana, onde marcou um gol e sofreu o pênalti do segundo marcado por Tucho. Seu substituto natural é Juninho, que sente dores na panturilha direita e depende da liberação dos médicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.