Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Vitória do Palmeiras ameniza críticas à diretoria nos bastidores

Série de maus resultados na temporada gerava pressão ao trabalho do diretor de futebol, Alexandre Mattos

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

12 de junho de 2017 | 07h00

A vitória por 3 a 1 sobre o Fluminense, sábado, ajudou o Palmeiras em outros aspectos além da reação do time no Campeonato Brasileiro, já que o time estava uma posição acima da zona de rebaixamento. O resultado acalma os bastidores do clube e diminui, principalmente, a pressão sobre a diretoria pelos maus resultados de jogos anteriores.

Antes de conseguir a vitória, a equipe acumulava uma série de quatro partidas sem marcar gols. A sequência negativa criou um ambiente de desconfiança no Palmeiras e no trabalho do diretor de futebol Alexandre Mattos, com críticas vindas de conselheiros e dirigentes sobre a montagem do elenco e pelo rendimento do time, que estava abaixo das expectativas.

O momento coincidiu com a viagem do presidente Maurício Galiotte para a Europa, onde ele se reuniu com parceiros do clube, e depois para a Austrália, a fim de chefiar a delegação da seleção brasileira em Melbourne durante os amistosos contra a Argentina e a seleção da casa. O afastamento do mandatário nas últimas semanas, aliado ao momento ruim da equipe, acentuou a tensão interna.

Cuca entende a situação e diz que as dificuldades não vão desaparecer só porque o Palmeiras ganhou do Fluminense dentro de casa. "O resultado contra o Fluminense foi útil, é claro. Mas só vale até quarta-feira. Se perdermos para o Santos, toda a pressão voltará a aumentar", explicou o treinador.

REFORÇOS

Durante os próximos dias o Palmeiras vai intensificar as conversas para contratar dois jogadores. O clube tentou insistir com o Flu para ter o atacante Richarlison, mas recebeu novamente uma recusa. A diretoria também vai atrás do volante Bruno Henrique, ex-Corinthians e atualmente no Palermo, da Itália. O objetivo é trazer o jogador emprestado por uma temporada, com preço fixo de compra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.