Vitória e vaga não tranqüilizam Picerni

Vencer a Tuna Luso no Mangueirão por 3 a 1, e conquistar a vaga para a segunda fase da Copa do Brasil, não foi suficiente para tranqüilizar o técnico Jair Picerni. Os erros que a equipe do Palmeiras cometeu, em especial nas conclusões, deixaram o treinador irritado. Isso ficou mais visível quando ele respondeu de forma ríspida a um repórter que queria saber o que ele pensava em fazer para tornar o time ainda mais competitivo. "Isso é meu problema. Só digo que precisamos trabalhar melhor para chegar aos resultados."O próximo desafio será domingo no Parque Antártica, contra o Guarani, às 17 horas. Ocasião em que os torcedores poderão ver a primeira medida concreta adotada por Picerni, que tirou de Vágner Love a condição de batedor oficial de pênaltis da equipe. A função passará a ser exercida pelo volante Magrão.Internamente, Vágner Love contestou a decisão, mas diante dos jornalistas mostrou-se tranqüilo. "Não vejo problema algum em respeitar o que me foi passado. O importante é ajudar o Palmeiras", disse o jogador.O treinador alegou que o atacante estava sentindo a responsabilidade. "Mas nem por isso deixará de ser o grande garoto que é. Quero deixar claro que essa determinação não é definitiva", explicou Picerni.Embora mais calmo que Picerni, o goleiro Marcos não aliviou: "O Palmeiras tem defeitos em todos os setores. Precisamos melhorar. Estamos felizes com a conquista da vaga na Copa do Brasil, mas não fomos bem na partida contra a Tuna Luso, especialmente no primeiro tempo. Garra não faltou, assim como não pode faltar nunca. Mas esperamos que a partir de agora o lado técnico comece a se sobressair."O volante Correia, que pode voltar ao banco contra o Guarani caso Marcinho se recupere de uma crise asmática, também mostrou-se descontente: "O time amoleceu contra a Tuna, vacilou, deixou a desejar. Ainda bem que a forma como atuamos não nos custou a vaga. Mas uma coisa é clara: quando enfrentamos equipes de menor expressão, normalmente nos complicamos."Mas é inegável que a classificação dará mais tranqüilidade para o time recém-saído do inferno da Série B. "Pelo menos esse espírito de segunda divisão que nos perseguia está nos deixando em paz. Afinal, tudo o que planejamos está acontecendo. A campanha é boa no Paulista e na Copa do Brasil", comemorou o treinador.O zagueiro Leonardo, que não jogou em Belém devido a uma pancada na coxa, tem esperança de retornar contra o Guarani. "Se o jogo fosse hoje não daria para entrar em campo. Mas até domingo vai melhorar", prevê.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.