Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Vitória em 'jogo-chave' após empates aumenta confiança no São Paulo, avalia Sidão

Time tricolor derrotou o Santos por 1 a 0 no Morumbi e tem sequência de nove jogos de invencibilidade

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2018 | 18h31

Para o goleiro Sidão, do São Paulo, mais que vencer um clássico, o triunfo diante do Santos neste domingo por 1 a 0, no Morumbi, foi crucial para o time ganhar mais confiança em função da sequência de empates da qual vinha no torneio.

+ AO VIVO: Veja como foi o jogo, lance a lance

+ Confira a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro

"Era uma rodada chave para a gente. Independentemente de ser um clássico, nós precisávamos vencer, ganhar os três pontos em casa em função daquilo que almejamos", analisou o arqueiro após o jogo. "Vencemos o clássico e isso nos dá mais confiança agora para buscar a parte de cima da tabela."

O goleiro celebrou a partida sem gols sofridos. Para ele, é uma forma de motivar os atacantes a irem para cima dos adversários. "Importantíssimo não tomar gols e ter uma defesa sólida, isso dá confiança para os caras lá na frente atacarem mais. Poderíamos ter virado o primeiro tempo ganhando. Voltamos ligados no segundo tempo e tivemos chances de matar o jogo antes."

Sidão falou que as cãibras sentidas pelo atacante Marcos Guilherme, que não pôde ser substituído no segundo tempo porque Diego Aguirre já tinha feito três trocas, é o "preço" da intensidade do time em campo. "É o que se fala a respeito do preço que se paga para vencer. O jogo foi de intensidade altíssima e as cãibras indicam isso."

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo Futebol ClubeSidãofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Daniel Alves: o garoto de Juazeiro que ganhou o mundo e espera brilhar no São Paulo
  • Sem Messi, seleção argentina é convocada para amistosos contra Chile e México
  • Coutinho ganha a camisa 10 e celebra empréstimo ao Bayern: 'Estou muito motivado'
  • Podcast: personalidades do esporte analisam a situação do futebol no Brasil

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.