Vitória muda o clima na Portuguesa

Bastou uma vitória para elevar o astral dos atletas e da comissão técnica da Portuguesa. O triunfo por 3 a 2 diante do Figueirense, pela Copa do Brasil, quarta-feira à noite, serviu também para selar a paz entre o zagueiro Tinho e a torcida da Lusa.O zagueiro Tinho é o jogador mais regular do elenco. Em seus 15 meses de clube, ficou fora apenas em três jogos. Em 2001, esteve presente nas nove partidas realizadas até agora e ganhou a tarja de capitão. "Sou um profissional que procuro estar sempre bem fisicamente. Além disso não sou violento, meu pensamento é sempre de roubar a bola", afirma ele.Esta regularidade e seu bom comportamento foram cruciais para um conversa que Tinho teve com integrantes da torcida Leões da Fabulosa, a organizada da Lusa. Muito criticado após a partida contra o Mogi Mirim, no último final de semana, o zagueiro criticou alguns torcedores e quase foi agredido. No entanto, o reconhecimento veio na quarta-feira, quando recebeu de Alê, presidente da uniformizada, o pedido de desculpas pelo ato de vandalismo de um torcedor. "Esclareci a minha revolta e eles entenderam. A vitória foi a retribuição pelo carinho demonstrado por eles (torcedores), em Florianópolis," disse o jogador, lembrando que as quase 50 pessoas que compareceram ao jogo em Santa Catarina, incentivaram o time o tempo todo.Para a partida contra a Matonense, domingo, pelo Paulista, Tinho acredita em uma Lusa mais "leve" após a vitória. Ele aproveitou para elogiar o técnico Renê Simões. "Ele é um sábio. Nos deu uma bronca, mostrou-nos os erros e o time acordou. Tem méritos na vitória."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.