Ivan Storti/Divulgação
Ivan Storti/Divulgação

Vitória na Bahia alivia princípio de crise no Santos

Time encerrou o jejum de três jogos e se afastou da zona de rebaixamento

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

30 de maio de 2014 | 18h30

SANTOS - Com a vitória do Santos contra o Bahia, na última quinta-feira, em Feira de Santana (BA), diminuiu a pressão sobre o trabalho do técnico Oswaldo de Oliveira, que até corria o risco de ser demitido antes do recesso do Campeonato Brasileiro para a disputa da Copa do Mundo se o time, que estava há três rodadas sem ganhar, não reagisse. Até a venda de Cícero para o Fluminense, que havia aumentado a crise na Vila Belmiro, perdeu a importância.

Com o triunfo desta quinta, o Santos alcançou 11 pontos na tabela de classificação e se afastou da zona de rebaixamento, que começava a incomodar. "A vitória consolida o que fazemos nos treinamentos. É muito importante para dar confiança", afirmou Oswaldo de Oliveira.

Agora, o treinador projeta a soma de mais três pontos diante do Criciúma, neste domingo, em São Bernardo do Campo (SP), para que a equipe não se distancie dos primeiros colocados e volte a ter possibilidade de pelo menos sonhar com a classificação para a Copa Libertadores de 2015, no reinício do Brasileirão, em julho.

A esperança de Oswaldo de Oliveira é que o presidente Odílio Rodrigues cumpra a promessa de vários reforços, com a ajuda de parceiros. "O ideal é que o Santos se equipare em valores aos times que estão acima. Não é porque vencemos com 13 jogadores fora que estamos prontos. Precisamos realmente nos reforçar. Falei isso lá no prefácio do livro, no início da temporada. Somos uma equipe ainda em formação e a situação atual é uma carga pesada demais para os meninos. Precisamos de um elenco mais classificado, mais rico tecnicamente", disse o treinador.

O time para enfrentar o Criciúma terá a volta dos titulares David Braz na zaga e Geuvânio no ataque, saindo, respectivamente, Neto e Jorge Eduardo. Como Alan Santos cumprirá suspensão pelo terceiro cartão amarelo, Renato deve voltar a formar a dupla de volantes com Arouca.

A tendência é que Oswaldo de Oliveira escale a equipe com Aranha; Cicinho, David Braz, Jubal e Zé Carlos; Renato, Arouca e Lucas Lima; Geuvânio, Gabriel e Diego Cardoso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.