Vitória na estréia melhora clima entre Teixeira e Luxemburgo

A vitória na estréia no Campeonato Paulista melhorou o clima entre o presidente Marcelo Teixeira e Vanderlei Luxemburgo. O dirigente gostou do comportamento do time diante do Barueri, mas reconheceu, o que não vinha acontecendo, que está faltando um jogador de qualidade e com poder de conclusão para o ataque. Quanto ao técnico, também houve mudança. Em vez do tom de cobrança de reforços, Luxemburgo afirmou que não há no mercado o jogador que interessa ao Santos. "E não adianta contratar apenas por contratar", afirmou o técnico, que na véspera se justificou por não escalar jogadores formados nas equipes da base do clube, como sempre cobra Teixeira, alegando que não é todo dia que surgem Robinhos, Diegos e Elanos. Também aproveitou para criticar a imprensa por questionar a qualidade técnica de sua equipe. "Qualquer time do Brasil gostaria de ter uma base forte como a do Santos", destacando Zé Roberto, Kleber, Antonio Carlos, Maldonado, Cléber Santana e elogiando o futebol de Fabiano. O ambiente pode ficar ainda melhor se Marcos Aurélio for beneficiado no julgamento do impasse com o Atlético-PR, nesta sexta-feira, pelo Tribunal Regional do Trabalho-PR. O clube do Paraná alega ter pagado primeira parcela dos 50% dos direitos federativos pertencentes ao Bragantino, o que lhe assegura o direito de renovar por mais um ano o contrato do jogador ou de receber R$ 6,5 milhões de multa, no caso do rompimento unilateral do compromisso. Marcos Aurélio treina no Santos há mais de 10 dias e se o Atlético-PR ganhar a causa, ele não ficará no clube. Luxemburgo e os jogadores mais experientes do time acreditam que o Santos pode ser dar bem tanto na Copa Libertadores da América como no Campeonato Paulista se acumular pontos nas primeiras rodadas. "Sou contra a formação de dois times, mas dependendo da situação, vai chegar o momento em que o técnico terá que poupar alguns titulares. Talvez isso aconteça contra o Palmeiras, entre os dois jogos da Libertadores", disse Antonio Carlos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.