Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Vitória pára entusiasmo do Figueirense

O Vitória testou a paciência de sua torcida, neste domingo, no Barradão, ao esperar o momento certo de dar o bote para vencer o Figueirense por 3 a 1. Com o resultado, o time tricampeão baiano chegou a 7 pontos, enquanto a equipe catarinense perdeu a invencibilidade. O treinador Agnaldo Liz soube armar um esquema estranho para um time que joga dentro de casa. Mas deu certo. Ao invés de partir para cima do Figueirense, o Vitória esperou os visitantes em seu campo. A marcação era feita no seu próprio campo, deixando a torcida apreensiva, pois dava a impressão de domínio do jogo pelo Figueirense. Foi aí que o time catarinense se empolgou e passou a oferecer seguidas oportunidades de contra-ataque para o Vitória. Numa delas, aos 41 minutos, Cléber mostrou, mais uma vez, por que vem sendo tão elogiado. Ele recebeu a bola adiantado, e ainda de fora da área, driblou um zagueiro, procurou o melhor ângulo, ajeitou e bateu com veneno, rasteira, sem chance para o goleiro Edson. No segundo tempo, outro destaque do Vitória na temporada, voltou a brilhar. O lateral Pedro chegou na linha de fundo e cruzou na medida para Obina cabecear e marcar 2 a 0 para o Vitória, aos 10 minutos. Desmontado, o ex-líder invicto estava batido em campo. O mesmo Obina levou o Vitória ao terceiro gol. Sofreu pênalti que Edílson converteu, ao 18. O Figueirense ainda fez o seu gol de honra, aos 35, em pênalti cobrado por Paulo Sérgio. O resultado deixou o Vitória mais animado para a difícil partida contra o Internacional, quarta-feira, pela Copa do Brasil, na decisão de uma vaga para a próxima fase. No primeiro jogo, Vitória e Inter empataram por 1 a 1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.