Vitória promete pressão em duelo de vida ou morte

Depois de 37 rodadas, o destino do Vitória na Série A do Campeonato Brasileiro será definido na última partida, no Barradão, contra o Atlético-GO, às 17 horas deste domingo. Se triunfar, o time baiano empurra o rival goiano para a Série B da competição. Qualquer outro resultado garante a permanência dos visitantes e sela o rebaixamento do anfitrião.

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

05 de dezembro de 2010 | 09h06

Ciente da importância do confronto, jogadores e o técnico do Vitória, Antônio Lopes, dizem confiar no apoio da torcida para evitar o descenso. "Eles (torcedores) têm ajudado muito e vão ser fundamentais, mais uma vez", avalia Lopes.

Uma boa notícia veio na sexta-feira: como o Atlético-GO só solicitou 500 ingressos da cota de 3.500 à qual tinha direito, uma carga extra de entradas para a torcida baiana foi colocada à venda.

O treinador comandou treinos com portões fechados durante toda a semana. Chegou a pedir desculpas aos jornalistas que cobrem o clube, após o último coletivo da equipe. "É uma decisão e temos de tomar cuidado com todos os detalhes", justificou.

A escalação do time só será divulgada minutos antes do jogo, mas Lopes tem pelo menos duas dúvidas. O meia Ramon, ainda sentindo desconforto muscular na coxa direita, e o volante Uelliton, que sentiu dores no treino de sexta-feira, serão avaliados antes da partida.

Como o triunfo é o único resultado que serve, o meia Kleiton Domingues, destaque do "time B" do Vitória, que na quarta-feira conquistou a Copa do Nordeste, pode ser a novidade da equipe, se Ramon não puder jogar. "Seria bom entrar na decisão", avalia. A opção mais

provável, porém, é pelos volantes Bida ou Fernando.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato BrasileiroVitória

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.