Vitória reage no final e empata com o Cruzeiro

Partida no Barradão termina em 3 a 3 e nenhuma das duas equipes consegue subir na tabela do Brasileirão

Tiago Décimo, Agencia Estado

30 de agosto de 2009 | 21h29

Em jogo cheio de alternativas e com final emocionante, Vitória e Cruzeiro empataram por 3 a 3, na noite deste domingo, no Estádio Barradão, em Salvador. Com o resultado, os dois vão a 29 pontos no Brasileirão, mas o time baiano leva vantagem no saldo de gols, ocupando a 12.ª colocação.

Veja também:

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

A forte chuva que caiu no fim da tarde em Salvador causou atraso de cinco minutos no começo da partida. E logo que o jogo teve início, o Cruzeiro levou vantagem com o campo encharcado: em um lance confuso, com direito a escorregões e bola parando em poça, Jancarlos conseguiu sair da marcação e chutou para o gol. Viáfara defendeu e, no rebote, Gilberto fez 1 a 0.

Sofrer o gol logo no primeiro lance da partida fez o Vitória se lançar para o ataque. O estado precário do campo e a grande quantidade de faltas, porém, prejudicavam o rendimento dos times. Além disso, a equipe da casa mostrava nervosismo e desperdiçava lances fáceis - entre eles chances claras de gol, muitas salvas pelo goleiro Andrey.

Ao Cruzeiro, restavam lances de contra-ataque, sem muito perigo. Aos 33 minutos, depois de o zagueiro Fábio Ferreira receber cartão amarelo por uma falta sobre Thiago Ribeiro, o técnico do Vitória, Vagner Mancini, reclamou com o árbitro e foi expulso do jogo.

O segundo tempo começou como terminou o primeiro, com o Vitória pressionando e perdendo oportunidades, enquanto o Cruzeiro tentava levar perigo nos contra-ataques. Em um deles, o time mineiro chegou ao segundo gol. Aos 18 minutos, Fabrício invadiu a área e foi empurrado por Vanderson. Pênalti que Gilberto transformou em gol.

Desta vez, porém, o Vitória deu uma resposta rápida. Três minutos depois, Roger escorou de cabeça um cruzamento de Ramon Menezes e diminuiu a vantagem cruzeirense. Mas o gol serviu para acordar o Cruzeiro, que passou a atacar com mais vontade a equipe baiana. E aos 31 minutos, o time visitante chegou ao terceiro gol: Fabrício avançou pela direita e cruzou para Thiago Ribeiro completar.

Quando parecia que o Cruzeiro apenas administraria a vantagem, o Vitória passou a imprimir grande ritmo ao jogo, auxiliado pela expulsão, aos 36 minutos, do zagueiro Thiago Heleno. Assim, aos 41, Roger recebeu e passou a bola para Ramon Menezes, que chutou rasteiro, da entrada da grande área, para reduzir a vantagem do rival.

E dois minutos depois, Roger recebeu lançamento pela direita e chutou de primeira, cruzado, da entrada da grande área, marcando o golaço que selou o placar final da partida. "Valeu pela garra do time, fico feliz com os dois gols marcados, mas a gente ainda tem de melhorar muito", disse o artilheiro do Vitória - e um dos goleadores do campeonato, com 11 gols marcados.

VITÓRIA 3 X 3 CRUZEIRO

Vitória - Viáfara; Nino Paraíba (Jackson), Anderson Martins, Fábio Ferreira e Leandro (Elkeson); Magal, Vanderson, Uelliton (Leandrão) e Ramon Menezes; Neto Berola e Roger. Técnico: Vagner Mancini

Cruzeiro - Andrey; Jancarlos (Vinícius), Leonardo Silva, Gil e Diego Renan; Thiago Heleno, Henrique, Fabrício e Gilberto (Fabinho); Soares (Guerrón) e Thiago Ribeiro. Técnico: Adílson Batista

Gols - Gilberto, aos 3 minutos do primeiro tempo; Gilberto (pênalti), aos 19, Roger, aos 21, Thiago Ribeiro, aos 31, Ramon Menezes, aos 41, e Roger, aos 43 minutos do segundo tempo

Árbitro - Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)

Cartões amarelos - Fábio Ferreira, Roger, Leandro, Uelliton, Thiago Heleno, Leonardo Silva e Soares

Cartões vermelhos - Thiago Heleno

Renda - R$ 147.850,00

Público - 7.388 pagantes

Local - Estádio Barradão, em Salvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.