Vitória relembra confronto com o Palmeiras

Um sorriso maroto acompanha os jogadores do Vitória quando o assunto é o confronto diante do Palmeiras que nos últimos anos se tornou uma espécie de "inimigo cordial" do clube baiano. A chance do Vitória sagrar-se pela primeira vez campeão do Brasileirão em 1993 foi frustrada pela boa equipe palmeirensse treinada por Wanderley Luxerburgo naquele ano.O vice-campeonato ficou entalado na garganta do rubro-negro e o momento da vingança ocorreu na última rodada do Brasileiro de 2002, quando o Vitória despachou o Alviverde para a segunda divisão com uma goleada no Estádio Manoel Barradas. Na Copa do Brasil do ano seguinte, o resultado mais surpreendente, a goleada de 7 a 2 pela Copa do Brasil em pleno Parque Antártica, com direito a "furo" histórico do goleiro Marcos. Do time atual apenas os zagueiros Marcelo Heleno e Adaílton jogaram naquela noite de goleada. "Sabemos que a pressão nesse jogo será muito grande em São Paulo e nós vamos procurar tirar proveito disso", disse o técnico Agnaldo Liz, confiante num bom resultado após sua equipe golear o Paraná Domingo passado por 6 a 1.A única dúvida do treinador é na zaga pois Marcelo Heleno ainda se queixas de algumas dores no tornozelo esquerdo que contundiu no partida de estréia contra o São Caetano. Se não der para o zagueiro, Alex Silva será mantido na sua vaga. O lateral Paulo Rodrigues retorna à esquerda após ter se recuperado de uma contusão, mas o volante Vampeta permanece fora da equipe se tratando de uma distensão. A dupla de ataque Edílson e Obina promete, no entanto, compensar a ausência do pentacampeão. Os dois marcaram três dos seis gols do Vitória Domingo passado. Edílson acha que se o Vitória conseguir um bom resultado no Parque Antártica vai se firmar como uma das melhores equipes do Brasileirão.

Agencia Estado,

28 de abril de 2004 | 14h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.