Vitória sobre o líder anima Portuguesa para fugir da degola

'Se continuarmos assim, nós temos tudo para conseguir resultados positivos até o final', diz Estevam Soares

Agência Estado,

20 de outubro de 2008 | 19h34

A vitória sobre o líder Grêmio, no último domingo, pode ter sido o início da arrancada final da Portuguesa no Campeonato Brasileiro. Pelo menos é o que acredita o técnico Estevam Soares, que ficou satisfeito com o desempenho dos seus jogadores no jogo realizado no Canindé. Veja também:Veja as chances de título e rebaixamento Vote: quem vai levar o título do Brasileirão?  Brasileirão Série A - Classificação Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão "Precisávamos da vitória e fizemos por merecer o resultado. Se continuarmos assim, nós temos tudo para conseguir resultados positivos até o final da competição. Espero que seja o início de uma arrancada para livrar definitivamente esse fantasma do rebaixamento", afirmou o treinador. Estevam também destacou a importância moral da vitória sobre os gaúchos. Segundo o comandante rubro-verde, a pressão aumentou no Canindé após o empate sem gols com o Coritiba, na rodada anterior, e o resultado do último domingo tranqüilizou o ambiente. "Tivemos problemas, foi tudo muito difícil, mas conseguimos superá-los. Tudo graças a uma boa semana de treinamento. Assim, conseguimos fazer um bom jogo", destacou. Autor do segundo gol contra os gremistas, o atacante Edno concorda com Estevam e já mira o próximo desafio da Lusa, que está marcado para sábado contra o Náutico, no estádio dos Aflitos, no Recife. Mesmo fora de casa, o jogador está confiante em mais um resultado positivo do time paulista. "Temos que repetir a atuação que tivemos contra o Grêmio. Mostramos que temos uma equipe de qualidade e vamos buscar a vitória, mas, para isso, temos que ir com força total", reforçou. Invicta há duas partidas, a Portuguesa deixou a zona do rebaixamento com a vitória em cima do Grêmio. É a 16.ª colocada, com 31 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
PortuguesaBrasileirão Série A

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.