Vitória tardia premia a insistência dos ingleses

A Inglaterra marcou os gols da vitória por 2 a 0 sobre Trinidad e Tobago apenas nos últimos dez minutos de jogo, mas os números da partida atestam que o resultado foi construído durante toda a partida, pois o English Team teve amplo domínio da partida, conforme atestam as estatísticas do jogo.Os ingleses, por exemplo, tiveram quase o dobro da posse de bola - 62%, contra 38% da seleção caribenha - e conquistaram 7 escanteios, cedendo apenas 3. Trinidad, por sua vez, cometeu mais faltas - 19 a 15 - e recebeu mais cartões amarelos - cinco contra apenas um.Mas o maior abismo nas estatísticas está nas finalizações: foram 23 chutes a gol dos ingleses, contra apenas 7 de Trinidad. E é aí que pode ser explicada a dificuldade em marcar: apenas 7 das bolas chutadas ou cabeceadas pelos jogadores da Inglaterra (30% de aproveitamento) foram em direção ao gol de Hislop - as duas últimas entraram. Já Trinidad chutou apenas 7 vezes a gol, mas obrigou o goleiro Robinson a quatro intervenções - aproveitamento de 57%.O meia Beckham se tornou o segundo inglês premiado pela Fifa com o prêmio de melhor jogador da partida. Na vitória sobre o Paraguai por 1 a 0, na estréia, a honraria coube a outro meia, Frank Lampard.Veja abaixo as estatísticas do jogo:Finalizações: Inglaterra, 23; Trinidad e Tobago, 7 Finalizações certas: Inglaterra, 7; Trinidad e Tobago, 4 Faltas cometidas: Inglaterra, 15; Trinidad e Tobago, 19 Cartões amarelos: Inglaterra, 1; Trinidad e Tobago, 5 Cartões vermelhos: Inglaterra, 0; Trinidad e Tobago, 0 Escanteios: Inglaterra, 7; Trinidad e Tobago, 3 Impedimentos: Inglaterra, 2; Trinidad e Tobago, 2 Posse de bola: Inglaterra, 62%; Trinidad e Tobago, 38% Melhor jogador da partida: David Beckham (Inglaterra)(Com fifaworldcup.com)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.