Viúva de Júnior quer justiça na Índia

Juliana Lima, viúva de Cristiano Lima Júnior, jogador brasileiro que morreu em campo no domingo, espera que seja feita justiça na Índia. Em entrevista à Rádio Jovem Pan, nesta quinta-feira, ela revelou que ainda não tem data para trazer o corpo para o Brasil, pois espera a realização de uma segunda autópsia.No domingo, durante a disputa da final da Federation Cup, na cidade de Bangalore, no sul da Índia, Júnior levou uma pancada na cabeça, num choque com o goleiro do time adversário ao marcar um gol. Logo depois, o brasileiro caiu no chão e, apesar de atendido pelos médicos, morreu. A autópsia, realizada em Bangalore, apontou que a causa da morte foi uma parada cardíaca. ?Mas não é confiável?, acusou Juliana, que luta para que seja feita nova autópsia, agora na cidade de Goa, onde eles moravam. ?Cristiano não tinha problemas cardíacos. Ele era muito saudável?, garantiu a viúva.O problema para a realização de nova autópsia, segundo Juliana, é que o coração de Júnior ficou em Bangalore, apesar de o corpo já estar em Goa. ?Quero voltar o mais rápido possível para o Brasil, mas quero justiça aqui e não vou sair daqui enquanto não fizer essa nova autópsia?, avisou a viúva do jogador.Bastante emocianada, Juliana confirmou também que Júnior tinha sofrido recentemente uma outra pancada na cabeça durante um jogo. Mas, segundo ela, sem maiores conseqüências. ?A tomografia não deu nada. E o médico falou que ele poderia continuar jogando?, afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.