Jewel Samad/AFP
Jewel Samad/AFP

Volante Banega diz que primeira fase complicada fortaleceu a Argentina

Meio-campista teve atuação decisiva em classificação da seleção às oitavas de final

Ciro Campos, enviado especial / Kazan, O Estado de S.Paulo

29 Junho 2018 | 15h02

Classificada em segundo lugar do seu grupo, com saldo de gols negativo e graças a uma vitória conquistada no fim. Se a Argentina parece estar enfraquecida na Copa do Mundo, o volante Ever Banega pensa ao contrário. O jogador do Sevilla afirmou nesta sexta-feira, em entrevista coletiva em Kazan, que as grandes dificuldades enfrentadas na primeira fase serviram para fortalecer o elenco.

+ Sampaoli revela que Argentina não treinou pênaltis para jogo com a França

+ Técnico da França diz temer inexperiência do seu time para jogo com a Argentina

"Não estávamos bem e nem começamos o torneio como queríamos. A nossa situação ficou difícil, mas por sorte conseguimos ganhar o último jogo e todos se sentiram mais calmos e cômodos em campo. Agora vamos mostrar que queremos ganhar", afirmou o jogador. Banega se tornou titular apenas na última partida, na vitória sobre a Nigéria por 2 a 1 - até deu passe para o gol de Lionel Messi.

A Argentina começou a Copa com empate diante da Islândia em 1 a 1 e parecia perto da eliminação quando perdeu para a Croácia por 3 a 0. A recuperação veio na última rodada, ao bater a Nigéria e contar com uma derrota islandesa para se classificar. A equipe sul-americana repetiu, portanto, o roteiro das Eliminatórias: classificação apenas no sufoco, na última rodada.

 

Banega disse que as dificuldades deixaram o grupo mais preparado para poder enfrentar a França. A Argentina se apoia na experiência de um elenco que vem de vices nos últimos anos tanto na Copa do Mundo, como em duas edições de Copa América. Do outro lado, os europeus têm um dos grupos mais jovens deste torneio, com média de idade de 26 anos e com a maioria dos atletas estreantes em Mundiais.

"Particularmente eu tive uma experiência importante, porque fiquei muitos anos na Europa. Eu tive a oportunidade de jogar a última partida e pude ajudar a seleção. Tomara que possa fazer isso novamente", afirmou o volante, que completa 30 anos nesta sexta-feira e disputa pela primeira vez uma Copa do Mundo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.