Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Volante da base quer se manter no elenco do Palmeiras em 2015

Mesmo no time que quase foi rebaixado para a Série B, Renato vê seu ano positivo e espera sequência para continuar melhorando

Estadão Conteúdo

10 de dezembro de 2014 | 12h09

Quase 50 jogadores disputaram o Campeonato Brasileiro pelo Palmeiras nesta temporada. Em 2015, porém, o clube terá a obrigação de reduzir seu elenco. Afinal, o Campeonato Paulista só vai permitir a inscrição de 28 atletas, sendo três goleiros, e não há porque manter um grupo muito maior, com jogadores sem poder jogar pelo principal torneio do primeiro semestre.

Além disso, a campanha insatisfatória no Brasileirão, que por pouco não culminou com rebaixamento, exige uma reformulação no elenco. O volante Renato, que fez 25 jogos no nacional e 32 partidas durante a temporada como um todo, quer seguir mostrando trabalho para ficar no grupo.

"Foi um ano satisfatório para nós que viemos da base, pudemos ajudar para que o clube não caísse para a Série B. Agora é dar sequência e se esforçar para continuarmos no elenco e fazer com que o Palmeiras brigue por títulos na temporada que vem, que é o que ele merece", disse o jogador, de 22 anos.

O jogador apareceu pela primeira vez no elenco em 2012, foi emprestado para o Moirense, de Portugal, e só neste ano teve seguidas oportunidades seguidas, tornando-se um dos garotos que encerraram o ano como titular.

"Foi uma temporada muito boa para mim, a mais importante da minha vida. Aprendi muitas coisas que vou levar para o resto da minha vida. Foi uma experiência única. Recebi elogios e críticas, joguei bem e mal, e agora eu sei tudo o que o futebol pode me trazer para os anos seguintes. Foi um ano difícil para o Palmeiras, mas, graças a Deus, as coisas não foram tão ruins no final, pois conseguimos permanecer na Série A", completou o jogador, que tem contrato até 2019.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasPaulistãorenato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.