Vassil Donev / EFE
Vassil Donev / EFE

Volante do Uruguai prevê dificuldade nas quartas e alerta para o ritmo da França

Lucas Torreira prevê grande confronto na próxima fase da Copa do Mundo

Estadão Conteúdo

05 Julho 2018 | 08h54

Titular do Uruguai nas últimas duas partidas, o volante Lucas Torreira ganhou a confiança do técnico Oscar Tabárez e deve iniciar a partida contra a França. O jogador espera um confronto difícil pelas quartas de final da Copa do Mundo, às 11 horas (de Brasília) desta quinta-feira, em Nijni Novgorod.

+ Sem Cavani, Uruguai perde referência na área e poder de finalização

+ Copa do Mundo entra na reta final com choques de estilos de jogo

"Vai ser uma partida muito igual. Eles têm grandes jogadores, em especial no último terço do campo, com um ritmo imposto para tirar vantagem de qualquer espaço que tiverem. Vamos dar uma boa olhada nos pontos fortes e fracos deles para que possamos causar danos com nossas armas ofensivas", analisou o jogador em entrevista concedida ao site da Fifa, publicada nesta quinta-feira.

Aos 22 anos, Torreira tentou explicar a sensação de defender o país dele em um Mundial. "Sempre sonhei em vestir a camisa do Uruguai, fiquei muito empolgado quando apareceu a oportunidade de vir à Rússia. Foi o ápice absoluto para mim, estou muito contente com as minhas atuações até aqui", afirmou o volante, que correu 11 quilômetros durante a vitória por 2 a 1 sobre Portugal, pelas oitavas de final do torneio, no último sábado, em Sochi.

"Ele nos oferece soluções que combinam com o tipo de jogo que estamos tentando fazer", disse Tabárez após no duelo com Portugal, para justificar a entrada do meio-campista. Torreira disputou as quatro partidas do Uruguai na Copa da Mundo e se tornou titular na última rodada do Grupo A, quando a seleção uruguaia venceu a Rússia por 3 a 0, em 25 de junho, em Samara

 

"Eu me descrevo como rápido, forte nas disputas de bola e apto a fazer passes precisos em profundidade. Gosto de entregar a bola no pé dos meus companheiros", comentou Torreira, que se profissionalizou no futebol italiano, pelo Pescara, e atualmente defende a Sampdoria.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.