Tolga Bozoglu/EFE
Tolga Bozoglu/EFE

Volante russo prevê 'surpresa' sobre o Uruguai: 'Não temos medo de ninguém'

Russos e uruguaios decidem o primeiro lugar do Grupo A nesta segunda-feira

Estadão Conteúdo

23 Junho 2018 | 20h18

As vitórias sobre a Arábia Saudita e o Egito elevaram a confiança na seleção da Rússia. Já classificados para a próxima fase, os anfitriões da Copa do Mundo já projetam um triunfo sobre o Uruguai e mandam o recado para os possíveis rivais das oitavas de final: "Não temos medo de ninguém".

+ Fifa abafou caso de doping de jogador russo, revela jornal britânico

+ Giménez sofre lesão muscular e vira desfalque no Uruguai contra a Rússia

"Há muitas surpresas neste Mundial. Qualquer time pode vencer. Não temos medo de ninguém. Vamos jogar o nosso futebol. Temos um plano de jogo. Vamos nos ater a ele e esperamos que possamos alcançar um resultado positivo", comentou o volante Roman Zobnin, após o treino deste sábado, em Novogorsk.

Rússia e Uruguai vão entrar em campo nesta segunda-feira já classificados para as oitavas. Mas estarão em busca da primeira colocação do Grupo A, o que evitará o confronto com o primeiro colocado do Grupo B, que tem Portugal, Espanha e Irã, todos com chances de classificação - o Marrocos já está eliminado.

"O clima está bom dentro da seleção. Treinamos bem hoje, no trabalho tático e em outros momentos. Trabalhamos coisas que poderemos usar contra o Uruguai. Tudo está indo conforme o nosso plano", declarou Zobnin, que defende o Spartak Moscou.

 

O volante, contudo, admitiu que o ataque do Uruguai preocupa para o duelo desta segunda. "A dupla de ataque, com Edinson Cavani e Luis Suárez, preocupa. Mas eles também têm bons zagueiros e o time como um todo é muito forte. Acho que são mais fortes que os egípcios", comparou.

Questionado sobre os possíveis confrontos das oitavas, o jogador russo evitou antecipar qualquer possibilidade. "Eu não penso sobre isso ainda. No momento, estamos nos preparando para enfrentar o Uruguai. O tempo vai dizer quem serão os nossos adversários nas oitavas. Não vamos especular", declarou Zobnin.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.