Volta de Ballack é a novidade no amistoso Alemanha x Áustria

Meia do Chelsea vestirá a camisa da seleção alemã após ausência de 11 meses devido duas cirurgias

05 de fevereiro de 2008 | 17h42

O retorno do meio-campo Michael Ballack é o destaque da seleção da Alemanha no amistoso desta quarta-feira contra a Áustria em Viena, uma das sedes da próxima Eurocopa. O jogador, que vestirá a camisa da seleção novamente após 11 meses de ausência, vem se destacando com a camisa do Chelsea após um período ruim defendendo o clube inglês por conta de uma lesão no tornozelo esquerdo, que o obrigou a fazer duas cirurgias. O meia teve de levar pontos na partida com o Portsmouth, pelo Campeonato Inglês, mas não preocupa para quarta.  Para a Alemanha, qualquer coisa diferente da vitória será considerada um tropeço, pois os austríacos ocupam apenas a 90.ª posição do ranking da Fifa - entre Congo e Etiópia, que sequer se classificaram à Copa Africana de Nações deste ano.  A volta de Ballack será um consolo em meio a tantos desfalques. As ausências mais importantes são o volante Torsten Frings, o lateral-direito Clemens Fritz e o zagueiro Christoph Metzelder. Frings e Metzelder terão Hitzlsperger e Friedrich como substitutos, respectivamente.  A ausência de Fritz será uma oportunidade de Gonzalo Castro entrar na equipe - Arne Friedrich, outro possível candidato à vaga, também é desfalque.  No ataque, o técnico Joachim Loew tem de tomar uma decisão entre Mario Gómez e o teuto-brasileiro Kevin Kuranyi para escolher o companheiro de Miroslav Klose no ataque.  A Áustria sonha com a vitória para empolgar o público local, que até pediu que a seleção não jogasse a Eurocopa para não passar vergonha. Com apenas quatro amistosos pela frente, o técnico Josef Hickersberger corre contra o tempo para formar uma equipe competitiva para a Eurocopa. Em 2007, o time fez 12 jogos e superou apenas a Costa do Marfim. Voltam ao grupo o atacante Roland Linz, que já fez nove gols pelo Sporting de Braga, o meio-campo Thomas Prager e o zagueiro Emanuel Pogatetz, que defende o Middlesbrough e está afastado desde 2006 por suas criticar o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.