Marcelo Cortes/Flamengo
Marcelo Cortes/Flamengo

Volta do Campeonato Carioca pode ser considerada mais uma vitória do Flamengo

Equipe rubro-negra tomou a dianteira e desfrutará do pioneirismo em testagens e retomada dos treinamentos na volta da competição

Raul Vitor, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2020 | 05h00

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) definiu a volta do Campeonato Carioca para esta quinta-feira, às 21 horas, no Maracanã, com a partida entre Bangu x Flamengo. Sem público e sem acordo para a transmissão na televisão, os clubes darão o pontapé inicial que marcará o  restabelecimento do futebol carioca, em meio à pandemia da covid-19.

Prováveis escalações 

Apesar da interrupção, as duas equipes devem entrar em campo com força máxima. O Flamengo, que renovou com Jorge Jesus, deve ter apenas uma alteração: a entrada de Léo Pereira no lugar de Gustavo Henrique.

O Bangu, por sua vez, não deve ter mudança alguma em seu plantel de titulares. O clube carioca buscará a vitória, para se manter vivo na luta pela zona de classificação para as semifinais do Carioca. A equipe ainda terá que torcer para um tropeço do Boavista, que se encontra na segunda colocação., com dois pontos de diferença. 

Flamengo: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Léo Pereira e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson e Éverton Ribeiro; Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol. 

Bangu: Matheus Inácio; Juliano, Michel, Rodrigo Lobão e Dieyson; Felipe Dias, Josiel e Juan Felipe; Octávio, Rocha e Jairinho.

Apesar da maioria dos clubes concordarem com a volta da competição estadual, a decisão não foi um consenso. Botafogo e Fluminense são contrários ao retorno imediato do torneio. "Há clubes que acham que não devem voltar agora no mês de junho, mas em julho. Como prefeito da cidade, fiz um pedido para o presidente da federação no sentido de que aqueles clubes que acham que devem voltar em julho não sofram qualquer tipo de W.O. ou punição da federação porque neste momento precisamos levar em consideração que cada um reage de maneira diferente", prosseguiu o prefeito. "Os jogos de Botafogo e Fluminense podem ser na primeira semana de julho. Falta tão pouco. Já imaginou a gente no coronavírus ver Botafogo e Fluminense perdendo por W.O.? Eu, como botafoguense, não iria gostar", disse o prefeito.  

Antes da retomada das atividades, Flamengo e Vasco já davam indícios que fariam pressão pela volta do futebol no Rio de Janeiro. Os presidentes de ambas as equipes, Rodolfo Landim, da rubro-negra, e Alexandre Campelo, do cruzmaltino, se encontraram no dia 19 de maio com o presidente da República Jair Bolsonaro, em Brasília.

As conversas com o presidente tinham o intuito de restabelecer as sessões de treinamento de ambas as equipes no Estádio Mané Garrincha, já que no Rio de Janeiro, tanto o governo municipal, quanto o governo estadual, impediam o retorno das atividades nos centros de treinamento.

A polêmica volta do futebol no Rio teve seu estopim no final de maio, quando o Flamengo retomou as sessões de treinamento, sem o consentimento das entidades sanitárias estaduais. Sozinho, o rubro-negro foi o único a “peitar” as ordens do governo carioca.

“Os atletas e os integrantes envolvidos no dia a dia do Ninho do Urubu informam que se sentem seguros e aptos a retomar os treinamentos em razão do protocolo de segurança e prevenção adotado pelo Departamento Médico do Flamengo”, comunicou o clube, em nota assinada pelo vice-presidente de futebol, Marcos Braz, o diretor-executivo do futebol, Bruno Spindel, o técnico Jorge Jesus, o chefe do departamento médico, Márcio Tannure, e os atletas rubro-negros.

O Vasco, por sua vez, apenas restabeleceu as atividades em campo quando permitido no início de junho. Fluminense e Botafogo ainda não voltaram aos treinos. Para que a retomada das atividades, de fato, acontecesse, os clubes submeteram-se a testagem em massa de seus jogadores, funcionários e comissões técnicas.

O Flamengo foi o primeiro a divulgar a lista de infectados, na primeira semana de maio. Dentre as 293 pessoas testadas, 38 resultados positivos para a covid-19 foram detectados, dentre eles, de três jogadores.

O Vasco divulgou sua relação de testes positivos um mês após o rubro-negro. Na lista do cruzmaltino, 16 jogadores testaram positivo para a covid-19. O Botafogo, por sua vez, comunicou, na última terça-feira, 16, que cinco atletas testaram positivo para a doença. A relação de infectados veio junto a confirmação de que o clube, enfim, restabeleceria as sessões de treinamento.

Dentre os quatro grandes cariocas, o Fluminense foi o único que ainda não divulgou a relação de infectados, assim 

.como não se pronunciou sobre a retomada das atividades nas Laranjeiras. O clube teme sair prejudicado com o iminente retorno da competição.

Há duas rodadas do fim da fase de grupos, as datas estipuladas para o término da competição aconteceriam em junho. Até o momento, o Flamengo jogará nos dias 18 e 25, enquanto Fluminense e Botafogo jogarão nos dias 22 e 26, e, por fim, o Vasco, nos dias 21 e 24.


O Campeonato Carioca está paralisado há mais de três meses. No momento de sua interrupção, o Flamengo liderava, com nove pontos, o “Grupo A”, na frente do Boavista, com seis pontos. Empatados, com quatro pontos cada, estão Bangu e Botafogo, na terceira e quarta colocação, respectivamente. Portuguesa-RJ e Cabofriense seguem nas duas últimas posições.

No “Grupo B”, a situação é um pouco similar. O Fluminense lidera com nove pontos. Atrás dele está o Madureira, com seis pontos e, em seguida, o Volta Redonda, com quatro. Macaé, Vasco e Resende compõem a quarta, quinta e sexta colocação, com três, dois e um ponto, respectivamente. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.